Cavalo de Troia e fake news no tempo de Jesus

Virgínia Martin - 03/05/2019 14h16

O termo fake news parece coisa nova. Mas não é. Existe uma técnica estratégica que mistura verdade e mentira, capaz de confundir a sociedade de qualquer época. Sim! A ideia de espalhar falsas informações é bem antiga e já foi usada em variadas situações. Ainda mais quando o mundo nem era globalizado.

No espaço de tempo mais recente, a Bolsa de Valores, por exemplo, já se movimentou na base de muito lobby falso. Na literatura, a série Operação Cavalo de Troia, escrita pelo espanhol J. J. Benitez, retrata muito bem esta trend sócio-antropológica, em que verdades e inverdades são tão entrelaçadas, que torna-se difícil distinguir uma da outra.

Pleno.News não vai dar spoiler dos nove livros, mas usa como exemplo a capacidade de criar miragens dentro dos acontecimentos históricos verdadeiros. A obra descreve uma operação secreta da Força Aérea Americana que viaja no tempo e acompanha os últimos dias de Jesus Cristo na Terra. Trata-se de um case que mostra como técnica e empenho podem disseminar conteúdo irreal com tons de verdade.

O caso ET de Varginha também aponta para a possibilidade de fake news em forma de melodramas. O episódio tornou a cidade mineira famosa e nunca foi totalmente esclarecido. O caso envolve mistério e operações militares diante de um acontecimento que foi registrado em publicações de Ufologia. Foi no ano de 1996 que várias pessoas afirmaram ter visto seres extraterrestres e naves não identificadas. Até hoje, o imaginário coletivo do brasileiro monta e remonta os fatos desta história.

E em uma civilização atual sobrecarregada de redes sociais, é fácil democratizar informações sem o menor critério de avaliação. Até porque, criar um alerta e promover notícias alarmantes vende muito mais do que verdades que não fazem barulho. Da mesma forma como acontece na queda ou alta do dólar ou na Bolsa de Valores, notícias falsas podem render dinheiro e muito benefício próprio. Sendo assim, seja no contexto político, religioso ou científico, os danos que as fake news provocam são, muitas vezes, irreversíveis. Mas, infelizmente, viver de boatos é quase uma carreira em ascensão.

A Operação Cavalo de Troia mirou na história e no tempo de Jesus. O mundo do Século XXI também cria suas múltiplas versões de si mesmo. Enquanto isso, aqueles que têm aguçado senso crítico aprimoram seus filtros. Já outros, vagam pela grande teia do “vou consumir esta informação porque deve ser verdade”. Quem viver verá mais e mais especulações! Salve-se quem puder!

Virgínia Martin é editora-chefe do Pleno.News. Formada em Jornalismo, com pós-graduação em Propaganda e Marketing, em Comunicação Empresarial e em Pedagogia, tem mestrado em Multimeios.

LEIA TAMBÉM+ O que é a barrinha colorida na caixa de leite? Entenda!
+ Fake news! Novo ministro não aparece em vídeo polêmico
+ Fake news: Maisa se revolta com boatos sobre gravidez


Clique para receber notícias
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo