Leia também:
X O grupo de rebeldes que tomou o poder pela força e o manteve à bala

Encarando o silêncio

No silêncio, nós não nos distraímos com outras coisas

Edvaldo Oliveira - 13/07/2021 07h00

“Não se perturbe o coração de vocês. Creiam em Deus; creiam também em mim.” (João 14:1 NVI)

Existem momentos em que seguir essas palavras de Jesus é algo extremamente difícil. Às vezes, estamos tão tensos que não conseguimos focar em nada nem ouvir a voz do Senhor. Na verdade, não conseguimos ouvir sequer a nossa própria consciência. Em momentos assim, de turbulência, muitos ruídos se juntam em nossa cabeça, muitos problemas se acumulam, e tudo se torna mais complicado. Porém, são em tempos como esses que percebermos como estar em silêncio é bom e necessário.

Algumas pessoas evitam o silêncio a qualquer custo, pois nele muitas coisas se tornam evidentes. No silêncio, nós não nos distraímos com outras coisas e acabamos descobrindo aquilo que tem tirado nossa paz. E, na maioria das vezes, nossa paz está comprometida por nós mesmos, por coisas que nós mesmos temos feito. É difícil encarar o silêncio, pois encontramos nele as coisas que evitamos o dia inteiro, aqueles assuntos que preferimos não tocar, e nos deparamos com aquelas coisas que nos esforçamos para esconder das pessoas. No silêncio, somos só nós e o Senhor ‒ e muitos de nós têm evitado esse encontro.

Esse momento de encarar a si mesmo pode parecer exaustivo a princípio, pois quem, em sã consciência, acha legal tirar um tempo para reconhecer seus próprios erros e defeitos? Sejamos sinceros: ninguém tem disposição natural para fazer isso, pois, em geral, precisamos desprender um esforço gigante para fazer essa autoanálise. Mas sabe aquela vontade que parece que vai além de nós? Aqueles dias em que parece que ouvimos uma voz nos convidando a um tempo de reflexão, de autoconhecimento, de arrependimento e perdão? Essa é a voz do Espírito de Deus nos chamando para um tempo de purificação.

Quando encaramos o silêncio, o inimigo quer colocar em nossa mente a ideia de que estamos sozinhos ali. Mas a verdade é que Deus não nos abandona em nenhum momento, nem mesmo nesses processos que são mais doloridos e exigem muito mais paciência de nós. Deus nos ajudará a lidar com tudo aquilo que se apresentar a nós quando encararmos o silêncio, quando sondarmos a nós mesmos. E Ele quer purificar-nos e fazer-nos caminhar para além de nossas dificuldades.

Eu quero orar com você agora.

Deus, obrigado por Tua Palavra e por Teu amor. Senhor, perdoa-nos, pois temos evitado ter algumas conversas necessárias, deparar-nos com alguns conflitos internos importantes, bem como reconhecer alguns erros, porque muitas vezes é mais cômodo permanecer no erro do que consertá-lo. Hoje nós nos entregamos a Ti e colocamos nossa vida em Tuas mãos, pois queremos tirar um tempo em silêncio, um tempo de reflexão; queremos descobrir o que tem tirado nossa paz, nossa santidade, e livrar-nos disso, para que possamos caminhar em Ti e Contigo. Em nome de Jesus, oramos. Amém.

Edvaldo Oliveira é coordenador e idealizador do Ministério Minuto com Deus. É formado em Teologia Ministerial pelo Seminário Cristo para as Nações e em Administração de Empresas. Mora em Belo Horizonte e congrega na Igreja Batista Videira.

* Este texto reflete a opinião do autor e não, necessariamente, a do Pleno.News.
Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.