Leia também:
X A inflação não é um fenômeno nacional

Verdadeiros adoradores

Verdadeiros adoradores adoram ao Pai independente das circunstâncias

Edvaldo Oliveira - 14/11/2021 07h00

Verdadeiros adoradores Foto: Pixabay

Jesus, durante uma conversa com uma mulher samaritana à beira de um poço, fala de uma maneira que toca as questões essenciais da vida humana. E uma das áreas abordadas na conversa diz respeito à adoração.

A mulher revela, num primeiro momento, que sabia a respeito do assunto, que conforme o ensinamento que ela recebeu de seus pais, ali, onde eles estavam, seria o lugar correto para se adorar a Deus, mas que os judeus diziam que era em Jerusalém.

Jesus transforma uma conversa a respeito de religião em uma reflexão sobre a importância das intenções em nosso coração quando nós adoramos a Deus.

O texto em questão é João 4:23-24 (NVI), que diz assim:

“No entanto, está chegando a hora, e de fato já chegou, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade. São estes os adoradores que o Pai procura. Deus é espírito, e é necessário que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade.”

JESUS ESTAVA DIZENDO QUE A ATITUDE É MAIS IMPORTANTE DO QUE O LUGAR

Numa época em que muitas pessoas foram impedidas de frequentar os templos e obrigadas a adorar a Deus em casa, esse ensinamento é muito importante e atual.

Deus procura “os verdadeiros adoradores”.

Se Deus procura os verdadeiros, é porque existem os falsos adoradores. Os verdadeiros devem adorar a Deus “em espírito e em verdade”. O que significa isso?

Verdadeiros adoradores adoram a Deus pelo que Ele, e não pelo que Ele pode lhes dar.

Verdadeiros adoradores não buscam o aplauso dos homens, mas a aprovação dos céus; no secreto, na intimidade.

Verdadeiros adoradores adoram ao Pai independente das circunstâncias, como, por exemplo, Paulo e Silas na prisão. Eles estavam presos, amarrados, e não se importaram com as circunstâncias nem com o lugar, apenas adoraram a Deus; por isso, as cadeias caíram, e eles foram libertos.

“Mesmo não florescendo a figueira, não havendo uvas nas videiras; mesmo falhando a safra de azeitonas, não havendo produção de alimento nas lavouras, nem ovelhas no curral nem bois nos estábulos, ainda assim eu exultarei no Senhor e me alegrarei no Deus da minha salvação.” (Habacuque 3:17-18 NVI)

Talvez um dos maiores desafios na pandemia tenha sido o de adorarmos a Deus na intimidade, de orarmos sem nenhum plateia, de falarmos com Ele no quarto secreto, porque o nosso Deus é espírito, e importa que nós também o adoremos com o nosso espírito.

Edvaldo Oliveira é coordenador e idealizador do Ministério Minuto com Deus. É formado em Teologia Ministerial pelo Seminário Cristo para as Nações e em Administração de Empresas. Mora em Belo Horizonte e congrega na Igreja Batista Videira.

* Este texto reflete a opinião do autor e não, necessariamente, a do Pleno.News.
Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.