A teoria da complexidade na gerência das organizações

As empresas passam a ser compreendidas como um sistema complexo, e não mais como uma máquina destituída de vida

Luciano Vilaça - 20/03/2019 15h21

A abordagem sistêmica do conceito de empresa já vem sendo aceita há algumas décadas Foto: Pixabay

As mudanças paradigmáticas ocorridas na segunda metade do século XX trouxeram grandes reflexos na maneira de olharmos o homem, o mundo, as instituições e as organizações. A visão mecanicista deu lugar à visão sistêmica, que sustenta que todo organismo é uma totalidade integrada e, portanto, um sistema vivo. A combinação dos seus elementos seria, então, um todo orgânico que funciona de modo conectado e interdependente.

Essa nova percepção nos revelou um mundo muito diferente da metáfora cartesiana, representada por um relógio absolutamente preciso e determinístico. Hoje, compreendemos que causas são efeitos, assim como efeitos também são causas, e nem sempre é possível encontrar todas as causas para os efeitos percebidos. A partir dessa ótica, a família, as instituições e as organizações passam a ser concebidas como um organismo vivo. As empresas, portanto, passam a ser compreendidas como um sistema complexo, e não mais como uma máquina destituída de vida.

A abordagem sistêmica do conceito de empresa já vem sendo aceita há algumas décadas. A teoria geral dos sistemas e a cibernética, ao identificarem a complexidade dos sistemas abertos, fizeram com que as instituições e as organizações passassem a ser objeto de uma nova abordagem científica: a complexidade. Ambas formulações teóricas nos revelaram que as organizações são sistemas adaptativos complexos (SAC) e devem ser regidas pelas leis da complexidade. Desse modo, a teoria da complexidade passou a ter uma enorme utilidade prática no estudo e no gerenciamento das instituições e organizações contemporâneas.

Luciano Vilaça é coordenador e professor dos cursos de mestrado e doutorado da Atenas College University. Formado em Liderança pelo Haggai Advanced Leadership Institute – Singapura e em Negotiation and Leadership pela Universidade de Harvard. Destaca-se por sua vasta experiência como psicólogo, psicanalista e consultor de negócios e por sua rica formação acadêmica, incluindo graduações em Direito e Psicologia, especializações em família e negócios, dois mestrados e doutorado por renomadas instituições, como Harvard, UFRJ, FGV, PUC- RJ e Florida Christian University. Autor de vários livros, dentre eles, Dentro e Fora da Caixa.

Clique para receber notícias
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo