A lei do instrumento

Estruturas psíquicas complexas, comportamentos compulsivos e transtornos psicopatológicos graves não são superados através de boas ferramentas

Luciano Vilaça - 15/05/2019 10h02


Certa ocasião, Abraham Maslow afirmou: “Para quem só sabe usar martelo, todo problema é prego”, fazendo alusão ao fato de serem utilizados os mesmos conhecimentos e de serem aplicados os mesmos recursos já conhecidos para lidar com diferentes situações e resolver diferentes problemas. Essa prática é conhecida também como “lei do instrumento”.

Estruturas psíquicas complexas, comportamentos compulsivos e transtornos psicopatológicos graves não são superados através de boas ferramentas, dicas, recomendações positivas e “mantras” entusiasmados. Em muitos casos, as motivações inconscientes que se encontram na raiz das interações e dos comportamentos prejudiciais recorrentes precisam ser reveladas e cuidadosamente trabalhadas ao longo de um processo terapêutico.

Soma-se a isso o fato de que boa parte dos mentores de coaching, sem se dar conta, ainda está presa a muitos paradigmas do século passado, o que pode conduzir a práticas excessivamente masculinizadas, com matizes excessivamente performáticas, focados quase que, prioritariamente, em resultados quantitativos e numéricos.

Uma prática consistente e relevante, no entanto, deve se ocupar, simultaneamente, tanto com o ter quanto com o ser, tanto com a afetividade quanto com a efetividade, tanto com o amor quanto com o poder, tanto com ações egológicas, quanto com ações ecológicas. Uma prática que não mascare a letargia e a preguiça existencial, baseada no puritanismo e nas racionalizações das retóricas do ser, que elege o fracasso e a mediocridade como estilo de vida.

O ser sem o ter, o feminino sem o masculino, assim como o amor sem o poder, nos conduzem sempre a comportamentos extremados e a reducionismos limitantes.

Luciano Vilaça é coordenador e professor dos cursos de mestrado e doutorado da Atenas College University. Formado em Liderança pelo Haggai Advanced Leadership Institute – Singapura e em Negotiation and Leadership pela Universidade de Harvard. Destaca-se por sua vasta experiência como psicólogo, psicanalista e atuação como coach; consultor de negócios, consultor sênior do GC5 e por sua rica formação acadêmica, incluindo graduações em Direito e Psicologia, especializações em família e negócios, dois mestrados e doutorado por renomadas instituições, como Harvard, UFRJ, FGV, PUC- RJ e Florida Christian University. Autor de vários livros, dentre eles, Dentro e Fora da Caixa.

Clique para receber notícias
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo