Leia também:
X Lula diz que Moraes é o orgulho do Brasil: “Coragem estupenda”

Leia na íntegra o relatório que foi entregue pela Defesa ao TSE

Técnicos militares analisaram o sistema da urna eletrônica no primeiro e segundo turnos

Leiliane Lopes - 10/11/2022 18h07 | atualizado em 10/11/2022 18h30

TCU cobra novamente das Forças Armadas o relatório sobre fiscalização das urnas Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

O Ministério da Defesa entregou ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), nesta quarta-feira (9), um relatório de 63 páginas sobre a fiscalização feita durante o período eleitoral.

A primeira parte do documento tem 24 páginas, e mais um anexo de 39 páginas. Além disso, o ministro da Defesa, Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira, assinou um ofício de duas páginas.

Nelas, o ministro fala que a atuação das Forças Armadas foi em apoio à Justiça eleitoral e que foi feito um trabalho “técnico altamente especializado” por “oficiais de carreira especialistas em gestão e operação de sistemas de tecnologia da informação, engenharia de computação, defesa cibernética, engenharia de telecomunicações, entre outras especialidades”.

Outro ponto importante do ofício é que ele “restringiu-se à fiscalização do sistema eletrônico de votação, não compreendendo outras atividades, como, por exemplo, a manifestação acerca de eventuais indícios de crimes eleitorais”.

Já o documento, que você pode ler na íntegra aqui, vai falar sobre todo o trabalho de análise ao processo das urnas eletrônicas, desde a cerimônia de preparação, até os testes e os dois turnos de votações.

Leia também1 Lula diz que Moraes é o orgulho do Brasil: “Coragem estupenda”
2 Mulheres serão minoria no alto escalão de Lula, dizem aliados
3 "Está em curso uma escalada de censura jurídica", avalia Girão
4 Moraes pede a Lula projeto para regulamentar as redes sociais
5 Comandante convoca reunião de emergência com generais

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.