Leia também:
X Vinicius Poit, do Novo, declara apoio a Tarcísio e Bolsonaro

Ao TSE, coligação do PT se queixa de falas sobre “guerra espiritual”

Coligação questionou fato de a candidatura de Bolsonaro "trazer para o centro do debate político a religião"

Pleno.News - 05/10/2022 14h51 | atualizado em 05/10/2022 18h30

Coligação do Lula se queixou de abordagem religiosa na campanha Fotos: PT/Ricardo Stuckert

Na representação apresentada ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), na qual pediu a remoção de um vídeo que associa o ex-presidente Lula (PT) ao satanismo, a coligação Brasil da Esperança, da qual o petista faz parte nas eleições presidenciais, se queixou do fato de a candidatura de Bolsonaro “trazer para o centro do debate político a religião”. O pedido foi ajuizado nesta terça-feira (4).

– Há que se ressaltar que tal como já debatido nessa Corte Eleitoral, nos autos da representação acima mencionada, a candidatura adversária vem afirmando e buscando trazer para o centro do debate político a religião, chegando a dizer que a “guerra também é espiritual” – afirmou a coligação.

Trecho da petição se queixa de uso do termo guerra espiritual Foto: Reprodução

SOBRE O CASO
Nesta terça-feira (4), a campanha do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) apresentou uma ação, no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), pedindo a remoção de um vídeo que associa o petista ao satanismo. O conteúdo, que foi divulgado nas redes sociais, mostra um homem se dizendo satanista e declarando apoio ao ex-presidente.

A campanha de Lula nega que o homem seja apoiador de Lula e indicou um vídeo divulgado há duas semanas em que o autor do vídeo aparece criticando o petista. A ação aponta que, em uma entrevista, o homem teria chamado Lula de nazista.

– É inconcebível que uma figura como essa, que possui plena consciência das controvérsias que deliberadamente manifesta, tenha mudado de opinião e tomado a iniciativa de fazer campanha a um candidato que, muito pouco antes, ofendia – diz a representação.

A ação pede ainda que, sob pena de multa diária, ocorra a remoção do conteúdo de todas as plataformas, e que o autor do vídeo no TikTok seja notificado.

Leia também1 Bancada ruralista confirma apoio a Bolsonaro no 2° turno
2 Simone Tebet almoça com Lula na casa de Marta Suplicy, em SP
3 No Ceará, aluno dispara contra 3 estudantes em escola pública
4 Michel Temer decide apoiar Bolsonaro no 2º turno, diz site
5 Lira defende “punir e banir” empresas de pesquisas eleitorais

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.