Leia também:
X Apresentador da Globo chora ao cobrir tragédia em Petrópolis

Atrizes denunciam camarins para elenco negro na TV Globo

Diretor Vinicius Coimbra foi afastado temporariamente após acusações

Pleno.News - 17/02/2022 13h13 | atualizado em 17/02/2022 14h01

Roberta Rodrigues, Cinnara Leal e Dani Ornellas Fotos: Reprodução/TV Globo

Vinicius Coimbra, diretor da novela Nos Tempos do Imperador, foi afastado da emissora após ser acusado de racismo por atrizes do elenco. Ele também conduziria a próxima produção das seis horas, Mar do Sertão, mas já foi substituído por Allan Fiterman, que dirigiu Quanto Mais Vida, Melhor!

De acordo com o site Notícias da TV, as autoras das denúncias são as atrizes Roberta Rodrigues, Cinnara Leal e Dani Ornellas. Elas contataram o departamento de compliance da Globo, que é responsável por apurar condutas indecorosas e criminosas no ambiente de trabalho.

Antes de recorrerem ao departamento de compliance, as atrizes já haviam se queixado e relatado episódios desconfortáveis nas gravações. Ricardo Waddington, diretor de núcleo da emissora, disse a elas que providências seriam tomadas. No entanto, com o passar de meses, nada aconteceu.

De acordo com as atrizes, Vinicius Coimbra e sua equipe tinham falas preconceituosas e faziam segregação entre os atores. Eles chegavam a separar as pessoas entre “elenco branco” e “elenco negro” em documentos e até mesmo em camarins nos estúdios.

As atrizes Leticia Sabatella e Gabriela Medevedovski, que também integravam o elenco de Nos Tempos do Imperador, saíram em defesa das colegas e chegaram a intervir entre os diretores e as atrizes que se mostravam insatisfeitas. O ator Maicon Rodrigues também deu apoio.

As artistas foram orientadas por um corpo jurídico a aguardar o fim da investigação interna para decidirem se vão processar a Globo e Coimbra na Justiça comum. Tanto Cinnara quanto Dani e Roberta estão recebendo acompanhamento psicológico e psiquiátrico.

Sem falar sobre o que se referia, Roberta Rodrigues fez um desabafo no Instagram no último fim de semana. Ela não gravou o desfecho de sua personagem na novela, que já saiu do ar, e desmentiu que sua ausência tenha sido por conta da Covid-19, como foi noticiado.

– Tentaram me fazer desistir nesses últimos meses, mas eu fui criada na favela do VIDIGAL, formada pelo NÓS do MORRO, filha do Adilson Rodrigues (mecânico), filha da Eliane de Jesus Rodrigues Silva (costureira), neta da Carmelita de Jesus e componente de uma família PRETA muito fod*rastica. Aviso: Estou mais viva do que nunca e podem me chamar de fênix. Irei renascer sempre que for necessário – escreveu.

Ao Notícias da TV, a emissora disse, através da Central Globo de Comunicação, que não comenta questões relacionadas a compliance em razão do “compromisso de sigilo previsto no Código de Ética”.

Já a assessoria de imprensa de Vinicius Coimbra disse que o diretor prefere não falar sobre o assunto por enquanto.

 

Leia também1 Loja é criticada ao ter manequim preto quebrando vidraça
2 Edmundo nega racismo e fala em processar jornalista da Globo
3 Globo será multada em R$ 88 mil por racismo com “cãodomblé”
4 Marca de bicicletas nega vínculo com youtuber Monark
5 Olinda proíbe monumentos a nomes ligados ao regime militar

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.