Leia também:
X Bolsonaro comenta visita a monumento: ‘Soldado é soldado’

Apresentador da Globo chora ao cobrir tragédia em Petrópolis

"É muito dolorido", disse Flávio Fachel

Pleno.News - 17/02/2022 10h58 | atualizado em 18/02/2022 16h46

Flávio Fachel Foto: Reprodução/TV Globo

O apresentador do Bom dia Rio, da TV Globo, Flávio Fachel, chorou enquanto cobria a tragédia causada pela chuva em Petrópolis (RJ). Após entrada ao vivo no telejornal, ele se emocionou enquanto falava com a colega Silvana Ramiro.

– Silvana, é muito dolorido o que a gente tá vendo aqui. Não tem como a gente não se emocionar, porque a gente sabe que tem gente aqui que ainda precisa ser resgatada. É muito difícil o que a gente tá acompanhando aqui. Não tem como andar aqui. A gente fica vendo essas equipes de socorro usando toda a técnica que elas têm para localizar alguém que você não sabe onde tá. Os socorristas são unanimes em dizer “a gente não sabe onde essas pessoas estão”. Aqui, com o pé na lama, a gente sente essa dor, essa energia que toda a cidade de Petrópolis está sentindo – relatou ele.

Em outra entrada, no programa Mais Você, Fachel destacou que o que os repórteres sentem “não chega nem perto” do que a população de Petrópolis está vivendo, segundo informações do canal Splash, do UOL.

– As pessoas estão com os nervos à flor da pele, desesperadas, angustiadas, porque falta tudo aqui. Não se sabe onde estão as pessoas. Para deixar claro, eu acho que precisa ser dito: o que está acontecendo aqui hoje em Petrópolis não é resultado da chuva, não [foi] a chuva que causou isso aqui. Ela vem todo início de ano. Só que são décadas e décadas de abandono da população que mora nas encostas e que não tem a possibilidade de ter acesso a um programa de habitação decente, e o resultado é esse – falou.

Após as fortes chuvas que caíram sobre Petrópolis, cidade da Região Serrana do Rio de Janeiro, as autoridades confirmaram, até a manhã desta quinta-feira (17), que o número de mortos após a forte tempestade chegou a 104. A administração municipal decretou estado de calamidade pública. Ao menos oito vítimas são crianças.

Com as chuvas, a vegetação de vários morros veio abaixo, carregando pedras imensas e arrastando veículos, que ficaram empilhados com a força da correnteza. Na cidade, vias importantes foram bloqueadas pela lama densa que ficou pelas ruas, dificultando o acesso aos desabrigados.

– Estamos passando por uma situação de extrema gravidade e direcionamos todos os esforços para garantir o socorro da população – afirmou o prefeito Rubens Bomtempo.

Segundo a Secretaria Estadual de Defesa Civil, 24 pessoas foram resgatadas com vida. O Corpo de Bombeiros ainda não sabe exatamente qual é o número de desaparecidos, mas um cadastro do Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ), atualizado na manhã desta quinta, indica que ao menos 42 pessoas são procuradas.

Agentes das secretarias de Obras, de Serviço, de Segurança e Ordem Pública, de Saúde, de Educação, além da Comdep e do CPTrans também atuam no atendimento da população e na recuperação da cidade. Além disso, a Prefeitura de Petrópolis abriu todos os pontos de apoio para o acolhimento da população de áreas de risco.

Leia também1 Ministério da Defesa autoriza uso de militares em Petrópolis
2 Petrópolis: Bolsonaro lança crédito para vítimas das chuvas
3 Petrópolis: Mãe que cavou na lama descobre que filha morreu
4 Tragédia! Confira imagens de Petrópolis após fortes chuvas
5 Petrópolis: Em apenas 3 horas, chuva superou média para o mês

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.