Bolsonaro anuncia corte de 43% de fundo do audiovisual

Projeto de Lei atingirá a Ancine

Pleno.News - 11/09/2019 15h46

Jair Bolsonaro Foto: PR/Alan Santos

O presidente Jair Bolsonaro anunciou um corte orçamentário, que atingirá a Agência Nacional do Cinema (Ancine). O projeto de lei apresentado ao Poder Legislativo prevê, em 2020, um corte de quase 43% do orçamento do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA), para R$ 415,3 milhões. É a menor dotação nominal para o fundo desde 2012, quando ele recebeu R$ 112,36 milhões.

Para o ano que vem, a maior redução foi registrada nos chamados investimentos retornáveis ao setor audiovisual por meio de participação em empresas e projetos. É por meio desta ação que a agência aporta dinheiro em produções em busca de retornos financeiros. Em 2020, esse orçamento passará de R$ 650 milhões para R$ 300 milhões.

Também haverá diminuição no apoio a projetos audiovisuais específicos. No próximo ano, haverá R$ 2,5 milhões destinados à ação, ante R$ 3,5 milhões no orçamento de 2019.

O corte nos recursos do FSA é a mais recente medida adotada por Bolsonaro para tentar controlar a gestão do fundo. No final de agosto, em almoço com jornalistas, Bolsonaro defendeu a nomeação de um diretor para a Ancine com perfil evangélico e a criação de um filtro de patrocínios.

O presidente também já reclamou publicamente do financiamento ao longa Bruna Surfistinha, de 2011. Segundo ele, a produção, que ele reconheceu nunca ter assistido, tinha “fins pornográficos”.

*Folhapress

LEIA TAMBÉM+ Senado adia análise de projeto sobre lei da TV por assinatura
+ Pais dizem que não querem filhos vendo Felipe Neto
+ Rodrigo Maia diz que CPMF terá dificuldades na Câmara


Clique para receber notícias
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo