Leia também:
X Irã afirma que aumentou sua produção de urânio enriquecido

Jerusalém é alvo de ataques com bombas, e uma pessoa é morta

Forças policiais dizem que há a suspeita de que as explosões se trataram de "possíveis ataques terroristas"

Pleno.News - 23/11/2022 08h52 | atualizado em 23/11/2022 11h10

Explosão próxima de ponto de ônibus em Jerusalém Foto: EFE/EPA/Atef Safadi

Uma pessoa morreu e ao menos 14 ficaram feridas em duas explosões em diferentes pontos de Jerusalém na manhã desta quarta-feira (23). Segundo as forças policiais, há a suspeita de que as explosões se trataram de “possíveis ataques terroristas com artefatos explosivos”.

A primeira explosão ocorreu no início da manhã em um ponto de ônibus, onde os passageiros costumam se aglomerar à espera do transporte. Ao menos 12 pessoas ficaram feridas. Todas foram transferidas para hospitais próximos, três estão em estado crítico e uma pessoa foi declarada morta pouco depois, informou o serviço de emergência local.

Logo em seguida, houve outra explosão em um ponto de ônibus em Ramot, um assentamento no norte da cidade, onde três pessoas ficaram levemente feridas por estilhaços, de acordo com a equipe médica de emergência do United Hatzalah.

A polícia interditou várias vias de acesso a Jerusalém e realizou buscas por possíveis suspeitos nas zonas afetadas. Os policiais suspeitam de que ambas as explosões se trataram de um “ataque terrorista”, que seria o primeiro do gênero em anos.

Enquanto os palestinos realizaram esfaqueamentos, batidas de carros e tiroteios nos últimos anos, os ataques com bomba tornaram-se raros desde o fim de uma revolta palestina há quase duas décadas. Na primeira inspeção nos locais das explosões, as forças de segurança identificaram que “diferentes cargas explosivas foram colocadas em ambas as cenas”, indicando “um possível ataque combinado”.

Diante do ocorrido, o primeiro-ministro cessante, Yair Lapid, convocou uma reunião de segurança às 12h, horário local, para discutir a situação. Em resposta às explosões, Israel também sinalizou que estava fechando duas passagens na Cisjordânia para os palestinos perto da cidade de Jenin, um reduto militante.

*AE

Leia também1 "Ação de Bolsonaro no TSE é chicana", diz Gleisi Hoffmann
2 Senado aprova os dois indicados por Jair Bolsonaro para o STJ
3 Tadeu Schmidt fala sobre sua filha ter se declarado queer
4 Covid-19: Anvisa aprova o uso emergencial de vacina bivalente
5 Agropecuaristas protestam na Alego contra novo imposto

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.