Leia também:
X Visita de Papai Noel com Covid provoca mortes em asilo

Jornalista chinesa é condenada por cobrir a pandemia na China

Zhang Zhan foi punida com quatro anos de prisão por mostrar situação dos hospitais em Wuhan

Paulo Moura - 28/12/2020 08h48 | atualizado em 04/01/2021 09h33

Jornalista foi condenada por mostrar situação da pandemia em Wuhan Foto: Reprodução

Uma jornalista chinesa que cobriu a pandemia de Covid-19 em Wuhan, epicentro da doença na China, foi condenada nesta segunda-feira (28) a quatro anos de prisão por divulgar a situação dos hospitais da cidade em suas redes sociais. Na época mais crítica da doença no país asiático, Zhang Zhan mostrou o estado caótico vivido nos hospitais de Wuhan.

Segundo a agência de notícias France Presse, Zhang Zhan aparentava estar “muito abatida quando a sentença foi anunciada”, segundo um de seus advogados, Ren Quanniu, que disse estar com “muita preocupação” com o estado psicológico da jornalista.

Jornalistas e diplomatas estrangeiros que compareceram ao tribunal de Xangai, onde Zhan foi julgada, foram impedidos de entrar na sala de audiências. Além da proibição dos profissionais de imprensa, alguns simpatizantes de Zhan também foram afastados pelas forças de segurança.

Natural de Xangai, Zhang Zhan foi a Wuhan em fevereiro, quando a cidade chinesa ainda era o epicentro da pandemia, e divulgou reportagens nas redes sociais; a maioria delas foi sobre a crítica situação nos hospitais.

A detenção da profissional aconteceu em maio, após ela ser acusada de “provocar distúrbios”, uma terminologia frequentemente utilizada contra os opositores do regime do presidente Xi Jinping. O tribunal a acusou de ter divulgado informações falsas pela internet, informou à AFP outro advogado de defesa, Zhang Keke.

Em junho, Zhang iniciou uma greve de fome para protestar contra sua detenção, mas foi alimentada à força por uma sonda, segundo os advogados. Nos textos que divulgava na internet, Zhang denunciava o confinamento imposto em Wuhan e mencionou uma “grave violação dos direitos humanos”.

– Quando a vi na semana passada, ela afirmou: “Se receber uma sentença pesada, vou recusar qualquer alimento até o fim”. Ela acredita que vai morrer na prisão – explicou Zhang Keke.

Além de Zhang, outros três jornalistas cidadãos, Chen Qiushi, Fang Bin e Li Zehua, foram detidos após a cobertura dos eventos.

Leia também1 União Europeia inicia campanha de vacinação contra a Covid-19
2 Sem certeza sobre eficácia, novo lote da CoronaVac chega em SP
3 Cientistas desconfiam que há “problema” com a CoronaVac
4 SP diz que CoronaVac é eficaz, mas adia divulgação de dados
5 Relembre: 10 fake news sobre a pandemia, espalhadas em 2020

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.