Leia também:
X Morre o radialista considerado ícone da direita americana

Guiné receberá mais de 11 mil vacinas contra ebola no domingo

Imunização deve começar na próxima segunda-feira

Pleno.News - 18/02/2021 12h20 | atualizado em 18/02/2021 13h02

órfãos que perderam seus pais para o ebola
Órfãos que perderam seus pais para o ebola Foto: Klemens Ochel

A Guiné receberá mais de 11 mil vacinas contra o ebola neste domingo (21) e iniciará a campanha de vacinação na próxima segunda-feira (22), segundo informaram nesta quinta-feira (18) a Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Ministério da Saúde do país. A nação enfrenta um novo surto da doença, declarado no dia 14 de fevereiro.

– Pensamos que uma situação semelhante (ao surto anterior do país, a pior epidemia de ebola da história) não é tão provável porque Guiné, Libéria e Serra Leoa adquiriram agora recursos para a prevenção e controle de infecções – disse o diretor regional da OMS para a África, Matshidiso Moeti, em entrevista coletiva.

De acordo com Mohamed Lamine Yansane, assessor do Ministério da Saúde da Guiné, “todas as disposições para a vacinação estão em vigor, e as vacinas já estão registradas na Guiné”.

– Esperamos que a experiência da epidemia anterior seja de grande utilidade para nós agora. Desta vez, podemos dizer que estamos preparados – disse o médico.

Além deste carregamento de vacinas de Genebra, um outro pacote de 8.600 doses chegará dos Estados Unidos no final do ano, disse Moeti.

A OMS enviou pelo menos 30 especialistas de vacinação para o país e outros 20 para a República Democrática do Congo, onde a campanha de vacinação foi oficialmente lançada em 15 de fevereiro, na sequência da declaração de outro surto de ebola no nordeste, em 7 de fevereiro.

Segundo os últimos dados da OMS e das autoridades nacionais, o número de mortes por ebola na Guiné é agora de cinco pessoas (uma confirmada e quatro prováveis) de um total de sete casos, enquanto na República Democrática do Congo já foram confirmados quatro casos, incluindo duas mortes.

Nesta quinta-feira, o diretor do Centro de Controle e Prevenção de Doenças na África (CDC África), John Nkengasong, admitiu que “existe um sério risco (de o ebola se propagar por outros países da África Ocidental) porque, se olharmos para o mapa, os locais onde foram identificados casos concentram muita circulação humana”.

Contudo, Nkenasong frisou que “a consciência e a preparação são muito melhores do que há cinco anos” e que a região está bem mais equipada e “não começa do zero”.

Vários países da África Ocidental, como a Libéria, Serra Leoa e Nigéria, já foram colocados em alerta para impedir a propagação da doença nos seus territórios.

A OMS afirmou nesta quinta-feira que o risco de uma epidemia de ebola em países da África Ocidental é “elevado” devido à dimensão, à duração e às origens desconhecidas do atual surto, e também devido à limitada capacidade de resposta.

*EFE

Leia também1 OMS alerta seis países da África sobre novos surtos de ebola
2 Guiné anuncia oficialmente uma nova epidemia de Ebola
3 Mãe de Jair Bolsonaro é vacinada contra a Covid-19
4 OMS: Diminuição de casos de Covid não é por vacinação
5 Voluntários britânicos serão infectados com Covid em testes

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.