Leia também:
X Luciano Hang, a esposa e a mãe são internados com Covid-19

Homens encontram tesouro em quintal, e polícia é acionada

Moedas foram levadas de forma irregular por "caçadores de tesouro"

Pleno.News - 19/01/2021 15h25 | atualizado em 19/01/2021 17h48

Moeda teria sido cunhada em 1819 Foto: Divulgação

A Prefeitura de Colares (PA) isolou um terreno no município após “caçadores de tesouros” encontrarem moedas raras enterradas no quintal de uma residência. Os objetos são considerados “tesouros” pelo poder municipal e passaram a ser alvos de pessoas interessadas em vender as relíquias.

Imagens das moedas foram compartilhadas em redes sociais. Em uma delas, é possível ver a data 1819, mostrando que ela foi cunhada ainda no período colonial no Brasil, que durou até 1822.

A área foi isolada após denúncia de outros moradores, que relataram ter tomado conhecimento de um homem usando um detector de metal no terreno. Ele teria se passado por professor de história para entrar no local e, acompanhado de outras pessoas, levado dezenas de moedas. A dona da residência, no entanto, não é investigada como cúmplice.

Após a episódio, a Prefeitura de Colares registrou um boletim de ocorrência e acionou o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) para realizar um estudo na área.

Ao portal Uol, o secretário de Cultura do município, Fabiano Silva, disse que a intenção é criar um museu no futuro.

– Isolamos o terreno para resguardar o espaço para estudos. Ainda não identificamos essas pessoas que participaram da caça ao tesouro, mas tomamos as providências para quem em um futuro a gente criar um museu no município – explicou.

Carrinho com moedas foi levado por “caçador de tesouros” Foto: Reprodução

O Iphan também se pronunciou sobre o local e disse que, após terminar a vistoria, “poderá cadastrar o local do achado como sítio arqueológico, indicando o desenvolvimento de estudos e, se for o caso, instituições para a guarda dos artefatos”.

Além disso, o órgão explicou que “artefatos arqueológicos possuem valor inestimável para a compreensão do passado, e, no caso dos objetos encontrados em Colares, da ocupação do litoral paraense. A venda desses objetos é ilegal”.

A Prefeitura de Colares disse ter visto anúncios de venda da moeda nas redes sociais por R$ 160. No entanto, o historiador Franck Coutinho explicou ao veículo que, se confirmada a autenticidade moeda, seu valor pode chegar a R$ 15 mil.

Leia também1 Disputa com Bolsonaro teria feito Doria antecipar vacinação
2 Bolsonaro lidera intenções de voto para eleições de 2022
3 Maia: Eleição da Câmara será presencial no dia 1º de fevereiro
4 Pazuello: "Nosso objetivo é salvar vidas, e não fazer propaganda"
5 Twitter oculta post do Ministério da Saúde e é criticado

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.