Leia também:
X O genocídio em Bucha revela a necromancia da ONU e líderes ocidentais

Deputada é absolvida após citar Bíblia e opor-se a LGBTs

Tribunal rejeitou todas as acusações contra Päivi Räsänen

Marco Feliciano - 04/04/2022 17h50

Päivi Räsänen Foto: EPA/MARKKU OJALA FINLAND OUT

Alguns países europeus, após a 2ª Guerra Mundial, experimentaram uma descristianização acelerada. Entre estes, o que apresenta maior grau de ceticismo é a Finlândia. Esse país apresenta um nível bastante elevado de desenvolvimento e conforto social aos seus 5 milhões e meio de habitantes, o que leva, muitas vezes, as pessoas a se afastarem da fé. Isso confirma a passagem bíblica em que Pedro tendo fé andou sobre as águas; mas, ao primeiro vento, teve medo e fraquejando na fé, submergiu. Isso é o que acontece também quando há um conforto excessivo. A falta de dificuldades nos faz esquecer de Deus.

Faço esse preâmbulo para uma notícia maravilhosa que vem justamente da Finlândia. Lá, uma pastora luterana, Päivi Räsänen, que também atuou como ministra do Interior, entre os anos de 2011 e 2015, foi processada por ter citado versículos bíblicos da carta de São Paulo aos Romanos 1:24-27.

Apesar do processo, Räsänen não esmoreceu; pelo contrário, sempre reiterava suas convicções de fé, sem se desviar do que ensina a Palavra de Deus. No caso, que a lascívia entre pessoas do mesmo sexo é abominação.

Uma manifestação do procurador-geral da Finlândia a acusava de “agitação étnica”. E ainda, que suas declarações poderiam ser consideradas “crime de guerra “ ou “contra a humanidade “. Já a promotoria afirmou “que as declarações da pastora provavelmente causariam intolerância, desprezo e ódio aos homossexuais”. Sendo que o advérbio provavelmente, sem dúvida, reforçava o caráter subjetivo das acusações.

No entanto, a defesa da pastora sustentou que a condenação da acusada equivaleria a criminalizar, de fato, a Bíblia. Finalmente, em 30 de março deste ano, o Tribunal de Helsinque a absolveu de todas as acusações, por unanimidade. Reconhecendo ainda que não cabe ao Estado interpretar conceitos bíblicos e condenou a promotoria a pagar as custas judiciais do processo.

Criminalizar opiniões é muito perigoso. Por exemplo, se falarmos mal de um time de futebol corremos o risco de desagradar o torcedor adversário, causando um temor orwelliano, na sociedade; onde o medo reinaria e a beleza da expressão humana iria para o ralo da história.

Assim, o resultado do processo contra Päivi Räsänen foi uma vitória da Justa Justiça; tendo grande repercussão em toda a Europa, onde a Finlândia é considerada baluarte das liberdades individuais.

Que sirva de exemplo para os fariseus que pululam por aqui, vomitando interpretações heréticas da Sagrada Palavra de Deus. Fato que temos denunciado na Tribuna da Câmara dos Deputados, com todas as nossa forças.

Finalizo agradecendo a Deus por essa providência na Justiça da Finlândia, que deve ser referência para os tribunais do mundo inteiro.

Marco Feliciano é pastor e está em seu terceiro mandato consecutivo como deputado federal pelo Estado de São Paulo. Ele também é escritor, cantor e presidente da Assembleia de Deus Ministério Catedral do Avivamento.

* Este texto reflete a opinião do autor e não, necessariamente, a do Pleno.News.
Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.