Leia também:
X Vacinação de crianças pode começar em janeiro, diz governo

Total de auditores da Receita que entregaram cargos chega a 738

Medida ocorre em protesto ao governo federal

Pleno.News - 27/12/2021 21h01 | atualizado em 28/12/2021 10h04

Superintendência da Receita Federal, em Brasília Foto: Agência Brasil/Marcelo Camargo

O Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita (Sindifisco) informou, nesta segunda-feira (27), que chegou a 738 o número de auditores da Receita Federal que entregaram cargos de chefia em “protesto” ao governo. Na última quinta-feira (23), o número de auditores que haviam aderido à iniciativa estava em 635.

De acordo com o Sindifisco, o número representa 93% dos delegados (chefes de unidade) em todo o país.

O sindicato diz que todas as áreas são afetadas com a paralisação, principalmente as alfândegas, os portos e aeroportos e os pontos de fronteira do país, com maior lentidão nas importações e exportações – a chamada “operação padrão”

– A semana de recesso de final de ano acaba gerando menor impacto, pois o volume de cargas é pequeno. Mas, em janeiro, a tendência é haver um represamento importante, inclusive de importações e exportações de alimentos – afirmou o sindicato em nota.

De acordo com o comunicado divulgado, os auditores aguardam uma reunião com o ministro-chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira, mas não houve retorno até o momento.

– Enquanto não houver uma sinalização inequívoca por parte do governo de que a pauta da categoria será atendida, o movimento tende a recrudescer – apontou o sindicato.

A entrega de cargos de chefia não significa abandono, mas torna o trabalho da Receita Federal impraticável em muitas áreas, com a chamada “operação padrão”.

A revolta dos auditores com o governo teve início após o Orçamento de 2022 aprovado pelo Congresso Nacional cortar verbas do órgão e reservar espaço fiscal para reajuste de salário apenas de policiais federais, uma demanda direta do presidente Jair Bolsonaro (PL), que estuda uma forma de conter a insatisfação nas demais carreiras do funcionalismo.

*AE

Leia também1 Bolsonaro: 'Minha filha não vai se vacinar, vou deixar bem claro'
2 Bolsonaro 'pede' panelaço para celebrar 3 anos sem corrupção
3 Aos gritos de 'mito', Bolsonaro chega a SC para o Ano Novo
4 'Bolsonaro é o pior presidente da história' do Brasil, diz Tebet
5 Médico pede que Sociedade de Cardiologia expulse Queiroga

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.