Leia também:
X Lira e Pacheco querem votar reforma tributária até outubro

Congresso e governo planejam “reduzir” poderes do STF

Políticos avaliam que a Corte acaba por invadir as prerrogativas dos outros poderes

Pleno.News - 04/02/2021 19h49 | atualizado em 05/02/2021 12h08

Congresso e governo planejam “reduzir” poderes do STF Foto: Agência Brasil/Valter Campanato

Um dos focos do “novo” Congresso Nacional deve ser uma operação para tentar reduzir o poder do Supremo Tribunal Federal (STF) que, na avaliação de políticos, acaba por invadir as prerrogativas dos outros poderes. De acordo com informações da CNN Brasil, a intenção é conseguir um equilíbrio entre o Executivo, o Legislativo e o Judiciário.

De acordo com o veículo, um dos movimentos nessa direção é a escolha da deputada federal Bia Kicis (PSL-DF) para o comando da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, o que pode ajudar no avanço de pautas que afetem o STF.

A parlamentar deu exemplos a CNN Brasil de projetos nessa direção, como a PEC 6 de 2020.

– Tem algumas propostas que são para resgatar a autoridade do Legislativo e combater o ativismo judicial. Tem vários projetos para isso. Para esses, quero dar prioridade… [Com a PEC 6 de 2020], as ações diretas de inconstitucionalidade (ADIs) de lei ou ato normativo federal ou estadual não poderão ser decididas monocraticamente em nenhuma hipótese, devendo ser sempre apreciadas pela maioria absoluta dos membros do Supremo Tribunal Federal – explicou Bia.

Deputada federal Bia Kicis Foto: Agência Câmara/Pablo Valadares

Bia Kicis também citou o projeto de lei 4075 de 2019, que “veda a tipificação de conduta ou a criação de tipo penal, na ação direta de inconstitucionalidade, na ação declaratória de constitucionalidade, e na ação direta de inconstitucionalidade por omissão”.

– É preciso mais independência entre os poderes. É preciso resgatar a autoridade do parlamento – apontou ela.

Uma liderança do Centrão também disse que há a intenção de reduzir o poder do Judiciário e citou como exemplo o teto salarial do Poder, de R$ 39 mil, que é superior ao dos outros poderes R$, de 33 mil.

Outro que falou sobre a iniciativa à emissora foi o líder do governo na Câmara, deputado Ricardo Barros.

– É preciso montar uma operação política e, com diálogo, convencer os ministros do STF a não interferir em prerrogativas de outros poderes – destacou Barros.

Deputado federal Ricardo Barros Foto: Agência Brasil/Marcelo Camargo

Leia também1 Governo entregará usinas de oxigênio a cidades do Amazonas
2 Covid: Aras abre investigação preliminar contra Bolsonaro
3 Esposa de Moro quer impedir que Lula acesse mensagens do ex-juiz
4 Alexandre de Moraes mantém veto de Fux a juiz de garantias
5 Pazuello presta depoimento à PF sobre colapso em Manaus

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.