Leia também:
X Esposa de Moro quer impedir que Lula acesse mensagens do ex-juiz

Covid: Aras abre investigação preliminar contra Bolsonaro

Ação do PCdoB questiona conduta do governo federal na crise sanitária no Pará

Gabriela Doria - 04/02/2021 17h00 | atualizado em 04/02/2021 18h03

Presidente Jair Bolsonaro e o PGR, Augusto Aras Foto: Isac Nóbrega/PR

O procurador-geral da República Augusto Aras abriu, nesta quarta-feira (4), uma investigação preliminar para apurar a eventual responsabilidade do governo Jair Bolsonaro pela crise sanitária no Pará, em decorrência da pandemia da Covid-19.

A decisão de Aras foi uma reposta a um pedido do PCdoB, que acionou o Supremo Tribunal Federal alegando que o presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, eram responsáveis pelo agravamento da crise sanitária no estado.

O PCdoB acusa Bolsonaro e Pazuello de prevaricação, quando um agente público deixa de praticar sua função ou toma medidas contra as leis em função de um desejo ou interesse próprio. Segundo o partido esquerdista, a postura do governo federal é “descompromissada em relação às políticas de combate ao novo coronavírus no âmbito do Sistema Único de Saúde”.

Em despacho ao STF, Aras informa sobre a abertura de uma apuração preliminar que, segundo ele, pode tornar-se uma investigação efetiva caso haja indícios que sustentem a tese do PCdoB.

– Caso, eventualmente, surjam indícios razoáveis de possíveis práticas delitivas por parte dos noticiados, será requerida a instauração de inquérito nesse Supremo Tribunal Federal – relata Aras.

Leia também1 Esposa de Moro quer impedir que Lula acesse mensagens do ex-juiz
2 Senadores protocolam pedido de abertura da CPI da Covid-19
3 Bolsonaro defende liberdade de escolher ministros e secretários
4 Bolsonaro levanta cartaz escrito 'Globo Lixo' e humilha emissora
5 Bolsonaro: 'Pretendo botar em votação o excludente de ilicitude'

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.