Leia também:
X Papa Francisco ora pelas vítimas das chuvas em Pernambuco

Putin ameaça atacar novos alvos se Ucrânia receber novos mísseis

País retomou ofensiva a Kiev, capital ucraniana

Pleno.News - 05/06/2022 14h03 | atualizado em 06/06/2022 12h13

Presidente da Rússia, Vladimir Putin Foto: EFE/EPA/MIKHAIL KLIMENTYEV / KREMLIN / SPUTNIK / POOL

A Rússia voltou a atacar Kiev e os arredores neste domingo (5), na primeira ofensiva na capital ucraniana em mais de um mês. O ataque coincide com a ameaça do presidente russo, Vladimir Putin, de atingir novos alvos se a Ucrânia receber mísseis de longo alcance dos Estados Unidos e de outros países ocidentais.

Kiev não era alvo desde 28 de abril, quando o secretário geral da ONU, António Guterres, estava na capital para se encontrar com o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky.

Por volta da meia-noite (horário de Brasília), as Forças Armadas russas lançaram cinco mísseis de cruzeiro X-22 do Mar Cáspio na direção de Kiev, de acordo com o Estado-Maior Geral ucraniano.

Um dos mísseis, lançado dos bombardeiros estratégicos Tupolev Tu-95, de acordo com o Comando da Força Aérea ucraniana, foi interceptado sobre o distrito de Obukhov da região. O resto atingiu infraestruturas no norte da capital, de acordo com o Estado-Maior Geral.

ATAQUE CONTRA TANQUES EUROPEUS
O Ministério da Defesa russo afirmou ter destruído tanques T-72 e outros veículos blindados fornecidos por países do Leste Europeu à Ucrânia, nos arredores de Kiev, que se encontravam em uma fábrica de reparação de vagões ferroviários.

O prefeito de Kiev, Vitali Klitschko afirmou que houve explosões nos distritos de Darnitsia e Dnipro. Uma pessoa foi hospitalizada. Além disso, as forças russas dispararam mísseis contra a cidade de Brovary na região de Kiev, segundo o prefeito, Ihor Sapozhko.

O ataque coincidiu com o aviso de Putin a Kiev e ao Ocidente em entrevista pré-gravada à televisão estatal russa. O chefe do Kremlin disse que as forças armadas russas atacarão alvos que até agora têm sido poupados se o Ocidente fornecer mísseis de longo alcance à Ucrânia.

– Se eles os fornecerem, tiraremos as conclusões apropriadas e usaremos as nossas armas, que não faltam, para atacar os alvos que até agora não atingimos – declarou.

Putin fez essas observações após a Casa Branca ter anunciado um novo pacote de ajuda militar de 700 milhões de dólares à Ucrânia, que inclui múltiplos lançadores de mísseis com um alcance de até 70 quilômetros. Os EUA tomaram essa decisão após Zelensky ter prometido não os utilizar contra território russo.

*EFE

Leia também1 Guerra na Ucrânia completa 100 dias e não tem fim à vista
2 Papa Francisco ora pelas vítimas das chuvas em Pernambuco
3 EUA: Tiroteio na Filadélfia deixa três pessoas mortas e 11 feridas
4 Musk: Número de funcionários da Tesla vai aumentar
5 Justiça livra ex-assessores de Trump de acusação de desacato

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.