Leia também:
X Petrobras anuncia novo reajuste na gasolina e no diesel

Petrobras diz em nota que é “sensível ao que o país enfrenta”

Gasolina e diesel sofrerão alta de 5,2% e 14,2%

Pleno.News - 17/06/2022 12h40 | atualizado em 17/06/2022 13h13

Combustíveis sofrem novo reajuste Foto: Agência O Globo/TheNews2/José Aldenir

A Petrobras “ignorou” as pressões do governo e de autoridades e acabou anunciando o aumento dos preços do diesel e da gasolina nesta sexta-feira (17). Em nota enviada à imprensa, a estatal afirmou que “é sensível ao momento que o Brasil e o mundo enfrentam” de alta de preços.

A estatal argumentou que busca o equilíbrio de preços com o mercado global, e evita trazer a instabilidade do mercado internacional para o país, tanto que manteve o preços da gasolina congelado por 99 dias e do diesel por 39 dias, prática que não é comum a outros fornecedores no Brasil, nem fora do país.

A Acelen, única refinaria de grande porte privada brasileira, foi citada como exemplo, pois reajusta os preços semanalmente.

– Esse posicionamento permitiu à Petrobras manter preços de GLP estáveis por até 152 dias; de diesel por até 84 dias; e de gasolina por até 99 dias. Essa prática não é comum a outros fornecedores que atuam no mercado brasileiro que ajustam seus preços com maior frequência, tampouco as maiores empresas internacionais que ajustam seus preços até diariamente – diz a estatal.

Após 99 dias congelado, o preço da gasolina será reajustado neste sábado (18), pela Petrobras, passando a custar R$ 4,06 o litro nas refinarias da estatal, uma aumento de 5,2%. O diesel, há 39 dias sem aumento, passou a custar R$ 5,61 o litro, alta de 14,2%.

Os reajustes refletem a disparada dos preços dos derivados no mercado internacional, seguindo a alta do petróleo e refletindo maior demanda e o fechamento de refinarias em meio à guerra entre a Rússia e a Ucrânia.

Ainda na mesma nota, a estatal disse que o mercado de energia passa por um momento desafiador, pelo impacto da recuperação econômica e da guerra entre a Rússia e a Ucrânia, que reduziram a oferta e aumentaram a demanda, principalmente por diesel.

Nesta sexta (17), o presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou que “a Petrobras pode mergulhar o Brasil num caos”, e relembrou a greve dos caminhoneiros de 2018, que parou o Brasil.

Na quinta (16), o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), chegou a dizer que a Petrobras “declarou estado de guerra ao povo brasileiro”, e que a empresa age como “inimiga do Brasil”. Já o ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, do mesmo partido de Lira, disse que a Petrobras “não é de seus diretores. É do Brasil”.

*AE

Leia também1 Petrobras anuncia novo reajuste na gasolina e no diesel
2 “Petrobras pode mergulhar o Brasil num caos”, diz Bolsonaro
3 Lira sobre reajuste: "Petrobras age como inimiga do Brasil"
4 Bolsonaro anuncia redução do IPI de videogames e acessórios
5 Contador ligado a Lula é suspeito de lavar R$ 16 milhões em loteria com PCC

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.