Leia também:
X Vítima de anestesista relata dor por não poder amamentar

Esquerda vai à Justiça por painel contra comunismo: “Criminoso”

Painéis foram expostos em dois edifícios localizados em Porto Alegre, no RS

Thamirys Andrade - 15/08/2022 12h52 | atualizado em 15/08/2022 13h08

Painel exposto em Porto Alegre Foto: Reprodução / Redes Sociais

Dois outdoors colocados em edifícios localizados em Porto Alegre despertaram indignação por parte de parlamentares da esquerda, que chegaram a acionar a Justiça contra os painéis. Nas peças publicitárias, há uma comparação entre o Nacionalismo e o Comunismo, com elementos que atrelam a esquerda a “bandido solto” e à facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC).

Os murais em questão foram colocados no edifício Caraíba, no centro da cidade, em um prédio localizado na Avenida Benjamin Constant, no Bairro São João. Eles trazem a frase “você decide” como título – em provável referência às eleições deste ano – e duas colunas logo abaixo. Na primeira delas, há uma bandeira nacional, e em seguida estão elencados elementos como “vida”, “bandido preso”, “povo armado”, “valores cristãos”, “agro forte”, “menos impostos”, “a favor da polícia” e “ordem e progresso”.

Em paralelo, a segunda coluna traz o emblema comunista da foice e do martelo, associada a expressões como “aborto”, “bandido solto”, “povo desarmado”, “ideologia de gênero”, “censura”, “MST forte”, “mais impostos”, “a favor do PCC” e “narcotráfico”.

O painel também convida a população a participar dos atos do dia 7 de Setembro, convocados pelo presidente Jair Bolsonaro (PL).

Os murais agradaram os eleitores do chefe do Executivo e um deles chegou a ser compartilhado pelo deputado federal Eduardo Bolsonaro (PL), filho do chefe do Executivo, em suas redes sociais.

Por outro lado, o conteúdo irritou representantes de esquerda, que denunciaram as peças ao Ministério Público Eleitoral, à Polícia Civil e ao Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Sul. Os responsáveis pelas ações são os vereadores Leonel Radde (PT) e Matheus Gomes (PSOL).

Segundo informações do jornal O Globo, eles pedem a retirada dos conteúdos e que seja apurado quem está por trás do financiamento deles. Radde considera o conteúdo “criminoso”.

– Recebemos denúncias sobre o primeiro outdoor (do centro) assim que ele foi instalado, no dia 11 de agosto, mesmo dia da leitura dos manifestos pró-democracia. Fica claro que são calúnias contra um grupo político específico, a esquerda, e o conteúdo é criminoso. Há crime de incitação ao ódio e propaganda antecipada – avaliou.

Os murais foram produzidos pela agência Life, mas a empresa se recusa a divulgar o nome do cliente que contratou o serviço. A agência afirma que “o conteúdo das campanhas é de responsabilidade dos anunciantes que contrataram, e conviver com a simpatia ou rejeição a estas faz parte da liberdade que deve prevalecer na sociedade”.

Um dos sócios da Life, Leonardo Hoffmann, é apoiador do presidente, e escreveu nos comentários da publicação o lema da campanha de Bolsonaro em 2018: “Brasil acima de tudo. Deus acima de todos”.

Leia também1 Bolsonaro: Respeito a bandeira, a esquerda bota fogo nela
2 Delegado do caso Milton Ribeiro pede prisão da cúpula da PF
3 Bolsonaro cita Bíblia e publica mensagem de Dia dos Pais
4 Monkeypox: Moraes será relator de ação contra Bolsonaro no STF
5 Flávio Bolsonaro: "Nome de Deus continuará sendo exaltado"

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.