Leia também:
X Europa abre investigação do Facebook por uso de dados

França multa o Google em R$ 1,3 bilhão por publicidade digital

Empresa teria dado à casa de leilões de anúncios online do Google, a AdX, vantagem em leilões de publicidade

Pleno.News - 07/06/2021 08h39 | atualizado em 07/06/2021 09h19

Google Foto: EFE/Justin Lane

O Google terá que pagar uma multa de 220 milhões de euros (R$ 1,35 bilhão na cotação atual) como parte de um acordo com reguladores franceses de um dos primeiros casos antitruste em todo o mundo, que alega que a empresa abusou de seu papel de liderança no setor de publicidade digital.

A autoridade de concorrência da França disse nesta segunda-feira (7) que, além de impor a multa, aceitou os compromissos propostos pelo Google para resolver o caso, que incluem promessas de tornar mais fácil para os concorrentes usarem suas ferramentas de publicidade online. Os compromissos serão obrigatórios por três anos.

Como parte do processo, a autoridade de concorrência francesa alegou que o servidor de publicidade da empresa, conhecido como DoubleClick for Publishers e usado pela maioria dos grandes editores online para colocar espaço publicitário à venda, deu à casa de leilões de anúncios online do Google, a AdX, vantagem em leilões de publicidade por fornecer informações de lances rivais.

– Essas práticas foram particularmente sérias devido ao seu poderoso impacto sobre os intermediários de publicidade online – disse Isabelle de Silva, chefe da autoridade de concorrência francesa, em uma entrevista coletiva na segunda-feira.

O regulador informou que o Google assumiu cinco compromissos gerais como parte do acordo. Eles incluem não permitir que a AdX use lances dos concorrentes para otimizar seus próprios lances e dar aos servidores de anúncios rivais acesso igual aos dados sobre leilões de publicidade.

O acordo é parte de uma onda mais ampla de fiscalização antitruste contra grandes empresas de tecnologia dos dois lados do Atlântico. Na semana passada, a União Europeia e o Reino Unido anunciaram abertura investigações antitruste formais no recurso de anúncios classificados do Facebook, apelidado de Marketplace.

*Estadão, com informações da Dow Jones Newswires

Leia também1 Em meio a ataques, Manaus tem nova manhã sem transporte
2 Colisão entre dois trens mata mais de 30 pessoas no Paquistão
3 Vídeo: Flávio Bolsonaro chama Tite de puxa-saco de Lula
4 Em Manaus, 14 são presos suspeitos de ataques criminosos
5 Joice Hasselmann reencontra o pai: 'Jogamos as mágoas fora'

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.