Leia também:
X Filho de Pr. Lucas se recupera da Covid: “Meu garoto é o Rambo”

Juiz contraria Trump e mantém TikTok disponível nos EUA

Carl Nichols argumentou que proibição do app no país vai contra a liberdade de expressão

Rafael Ramos - 28/09/2020 12h05

TikTok foi mantido temporariamente em território americano Foto: Reprodução

O juiz Carl Nichols, de Washington, nos Estados Unidos, suspendeu temporariamente a proibição de downloads do TitkTok em território americano. A ordem para bloquear o aplicativo desenvolvido pela empresa ByteDance havia sido dada pelo presidente Donald Trump no dia 18 de setembro.

Com a decisão da justiça, Google e Apple poderão manter o TikTok em suas lojas de apps. Caso o juiz tivesse deliberado a favor de Trump, o veto ao aplicativo passaria a valer nesta segunda-feira (28). Nichols afirmo que o republicano estava infringindo a liberdade de expressão.

– O TikTok é muito mais do que um aplicativo, é a versão moderna do fórum público, é uma comunidade, é um meio de comunicação muito importante em tempos de pandemia. Se a proibição entrar em vigor, será como se o governo estivesse impedindo que dois terços do país fosse à praça pública – afirmou o advogado da ByteDance, John Hall.

Na semana passada foi anunciado a criação de uma nova empresa – a TikTok Global – que teria a participação e dois impérios americanos: a Oracle e o Walmart com participações de 12,5% e 7,5% respectivamente. O Departamento do Tesouro alertou que caso as negociações não sejam bem-sucedidas, uma proibição completa das atividades do TikTok nos EUA pode entrar em vigor a partir do dia 12 de novembro.

Leia também1 Globoplay não paga artistas por reprises e pode parar na Justiça
2 Ex-globais recusam proposta de concorrente por R$ 180 mil
3 Amazon aposta no Brasil para estrear dia de descontos
4 Trump afirma que democratas tentam fraudar eleição
5 Quem é a juíza conservadora que Trump indicou à Suprema Corte

WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.