Veja os principais problemas relacionados ao dente do siso

Especialista fala sobre cuidados e a temida cirurgia de remoção

Pleno.News - 31/05/2019 12h11

Dente siso é o último a nascer Foto: Pixabay

O dente do siso talvez seja o mais conhecido. Apelidado de “dente do juízo”, ele é o pavor de muitas pessoas. O siso é o último dente a nascer e na maioria dos casos não há espaço suficiente na boca para ele. Por conta disso, ele é chamado de incluso ou impactado, nomes que definem os dentes que estão desenvolvidos, mas não nasceram no período adequado.

Os motivos para os sisos não saírem são muitos, incluindo a própria falta de espaço na arcada dentária. Ele costuma aparecer entre os 16 e 20 anos de idade e, geralmente, é necessária uma pequena cirurgia para retirá-los. O especialista dr. Eduardo Nakanishi explicou que, do ponto de vista do tratamento, todos os dentes impactados devem ser removidos, a menos que a remoção esteja contra indicada.

– São os últimos dentes a nascer e as pessoas têm, geralmente, quatro dentes do siso, dois no maxilar superior e dois no maxilar inferior. No entanto, nem todas as pessoas têm dentes do siso, o que faz com que eles já sejam considerados por muitos especialistas como um ‘dente em extinção’. As novas gerações nascem cada vez mais sem a informação genética deste dente devido a mudanças na alimentação em relação aos antepassados e à tendência natural de evolução da espécie – esclarece dr. Eduardo.

O dentista também explicou que a remoção do siso deve acontecer antes que apareçam complicações, como entortar os outros dentes. Ele reforça que quanto mais velha a pessoa for, mais delicada e difícil passa a ser a cirurgia. E é exatamente esse procedimento que assusta os pacientes, mas o especialista tranquiliza:

– Visando conforto e redução da ansiedade dos pacientes, as cirurgias para remoção de dentes impactados são realizadas seguindo um protocolo cirúrgico e medicamentoso que permite eliminar a dor, reduzir a inflamação e o desconforto pós-operatório. O procedimento é realizado com auxílio de equipamentos modernos, anestesia de longa duração e com menor trauma cirúrgico possível. Desta forma, a recuperação pós operatória é bastante tranquila e totalmente indolor – finalizou.

LEIA TAMBÉM+ Recuperada, Mariana Goldfarb revela ter sofrido de anorexia
+ Produto falso é vendido com promessa de cura do autismo
+ Síndrome de Burnout entra na lista de doenças da OMS


Clique para receber notícias
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo