Leia também:
X Vacina personalizada contra o câncer tem resultados otimistas

Paciente com câncer está com Covid-19 há mais de 470 dias

Condição imunocomprometida prejudica luta do organismo contra o vírus

Thamirys Andrade - 07/07/2022 11h45 | atualizado em 07/07/2022 12h43

teste de covid-19 pcr cotonete
Teste de Covid-19 Foto: Mufid Majnun | Unsplash

Um estudo da Universidade de Yale, nos Estados Unidos, revelou o que pode ser o caso do paciente com a mais longa infecção por coronavírus. Trata-se de um homem de 60 anos, que segue com a Covid-19 há mais de 470 dias. O paciente enfrenta um câncer linfático e sua condição imunocomprometida prejudica sua recuperação.

De acordo com os pesquisadores, o homem possui três sublinhagens diferentes do vírus em seu organismo. Para os cientistas, o patógeno vem sofrendo mutações genômicas no corpo do paciente duas vezes mais aceleradas que o normal.

Pessoas imunocomprometidas fazem parte do grupo de risco da Covid-19 e, por esse motivo, tiveram prioridade na ordem de vacinação. O sistema imune desses indivíduos não funciona adequadamente, o que afeta sua luta contra vírus e bactérias.

– Essa infecção crônica resulta em uma evolução e divergência acelerada do Sars-CoV-2, um mecanismo que pode potencialmente contribuir para o surgimento de variantes geneticamente diversas – diz o estudo, que ainda passará por revisão de pares.

Leia também1 Vacina personalizada contra o câncer tem resultados otimistas
2 Anvisa mantém proibição de venda de cigarros eletrônicos
3 OMS: Quadro provável é Covid assumir condição endêmica
4 Mutações da varíola dos macacos estão indo 12 vezes mais rápido
5 Bactéria da Amazônia pode auxiliar no combate ao câncer

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.