ONG quer que país legalize prostituição para reduzir HIV

População da África do Sul tem a maior incidência do vírus no mundo

Pleno.News - 07/08/2019 12h46

País também proíbe a manutenção de bordeis Foto: Pixabay

Os países africanos vivem um trabalho árduo no combate às infecções do HIV. A organização sem fins lucrativos Human Rights Watch (Observatório dos Direitos Humanos) fez uma recomendação controversa para o governo da África do Sul.

Em um relatório de 70 áginas divulgado nesta quarta-feira (7), a ONG pediu que o país legalizasse a prostituição. De acordo com a HRW, o governo “impede os esforços” contra a epidemia quando “trata o trabalho sexual como crime”.

A vice-diretora executiva da ONG, Liesl Gerntholtz, criticou a criminalização também por permitir violações dos direitos humanos.

– Os profissionais do sexo na África do Sul enfrentam prisão, detenção, assédio e abuso da polícia, o que também os impede de denunciar violações ou outros ataques brutais de que são alvo – declarou.

A prostituição, manutenção de bordeis e persuadir alguém para a prática é ilegal no país desde 2007. O país tem a maior incidência da epidemia de HIV no mundo, com 19% da população.

LEIA TAMBÉM+ Homem é condenado por não avisar que é portador de HIV
+ Transgênero muda de vida após conversão em hospital
+ É mentira que vírus HIV foi achado em garrafas de Pepsi


Clique para receber notícias
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo