Leia também:
X Vacina emergencial terá termo de consentimento do paciente

Dra. Nise Yamaguchi comenta contribuição para Lei Antifumo

Médica Oncologista falou sobre as dificuldades envolvidas no processo e as motivações para continuar

Pierre Borges - 03/12/2020 18h10 | atualizado em 04/12/2020 10h58

Médica Oncologista Dra. Nise Yamaguchi Foto: Reprodução

A médica oncologista e imunologista Dra. Nise Yamaguchi comentou em live do Pleno.News sobre a sua contribuição para a aprovação da Lei Antifumo. Pela sua luta conta o tabagismo, a Dra. Nise já foi reconhecida internacionalmente com os prêmios Joseph Cullen Award e World Cancer Alliance.

Nise comentou sobre sua participação na Convenção-Quadro Contra o Tabaco, que foi o primeiro tratado internacional de saúde pública da história da Organização Mundial da Saúde (OMS), ocorrido em 2003.

– Essa experiência da gente passar a Convenção-Quadro Contra o Tabaco, que é uma série de portarias pra gente diminuir o tabagismo no mundo inteiro, foi uma experiência emblemática pra mim. Eu trabalhei contra um gigante que era a indústria do tabaco (…) Nós conseguimos através de muito amor, através da consciência do público, através do trabalho em cada cidade, dos senadores e deputados e conseguimos passar a Lei de Controle de Tabaco no Brasil – disse.

DIFICULDADES
Com doutorado em Oncologia e mestrado em Imunologia, Nise falou sobre como conseguiu fazer com que a lei fosse sancionada no país, apesar dos desafios enfrentados para reduzir o consumo de tabaco num momento em que o Brasil era o maior exportador de tabaco do mundo.

– Tinha uma câmara técnica no ministério da agricultura [sobre o plantio do tabaco] e eu, conversando com o ministro da agricultura e com a diretora do controle de tabaco, a Dra. Tânia Cavalcante, falei pra ele ‘você sabe a dor de uma família com paciente com câncer? de uma causa evitável? Nós não estamos falando de agronegócio, nós estamos falando de saúde’. Ele começou a chorar, o ministro Rodrigues, e falou ‘olha, eu já tive câncer, minha mulher está sendo tratada, meus pais também. Eu vou passar esta lei pra senhora, vou falar com, na época, a ministra da Casa Civil’ e aí, depois, eu falei com o vice-presidente, a gente tinha uma interação muito boa, aí eu consegui que o presidente sancionasse a lei num momento praticamente impossível – lembrou.

PROBLEMAS PESSOAIS
Nise Yamaguchi também revelou detalhes da vida pessoal. Contou que chegou a perder amigos devido à exposição causada pela luta contra o tabagismo.

– É realmente acreditar na possibilidade do bem, que é o que me faz movimentar nesse momento. Muitos já me aconselharam, amigos meus, inclusive, deixaram de falar comigo. Falaram que eu não deveria me colocar numa luta tão aberta, poderia ficar só ilhada no meu consultório atendendo e eu falei: Eu não posso se o meu povo está sofrendo e está morrendo desnecessariamente. Eu não tenho esse direito de ficar atendendo nos grandes hospitais onde atendo, em São Paulo, num consultório onde eu tenho o privilégio de ter tudo o que eu tenho e deixar pessoas sem a assistência necessária, então é isso o que move – desabafou.

Pleno.News Entrevista
Nise Yamaguchi
por Pleno.News - 04/12/2020

* Você pode ouvir a entrevista com a Dra. Nise Yamaguchi em podcast no Pleno.News, no Spotify, na Deezer, no Google Podcasts e no Apple Podcasts.

Leia também1 Dra. Nise atribui segunda onda às pessoas que estavam em casa
2 Dra. Nise Yamaguchi alerta: 'A vacina não pode ser obrigatória'
3 Perdão: Como afeta a saúde do corpo e faz viver mais
4 Supremo adia julgamento sobre plano de vacinação da Covid-19
5 'Profeta do caos', Átila Iamarino é cancelado pelos próprios fãs

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.