Leia também:
X Estados Unidos começam a administrar vacina da Moderna

Vacinação: Varíola é a única doença infecciosa erradicada

Algumas doenças 'zeraram' em algumas partes do mundo, mas outros ainda dependem de vacinação

Monique Mello - 21/12/2020 19h35 | atualizado em 22/12/2020 11h52

ALgumas doenças diminuíram drasticamente o contágio, mas não foram erradicadas totalmente
Algumas doenças diminuíram drasticamente o contágio, mas não foram erradicadas totalmente Foto: Freepik

O cenário das doenças infecciosas mudou desde a implementação das vacinas, e diversas campanhas são realizadas a fim de conscientizar populações quanto à vacinação. Mesmo com as vacinas, as doenças apresentavam diversos casos, e apenas quando o investimento em pesquisas foi reforçado, aos poucos elas foram sendo controladas.

No entanto, a varíola é a única doença infecciosa erradicada por meio de uma vacina. Era uma infecção altamente contagiosa, causada por um vírus do tipo ortopoxvírus. A morte, que costumava acontecer na segunda semana, vinha da resposta inflamatória massiva que causava choque e levava à falência múltipla dos órgãos.

Os números de mortos por essa doença são gigantescos, chegando a mais de 300 milhões de óbitos. A varíola aterrorizou a população mundial por vários séculos.

Edward Jenner, um médico rural inglês conhecido como o “pai da imunologia”, teve um papel crucial no tratamento da varíola e, posteriormente, no de várias outras doenças infecciosas, a partir da criação da vacina.

No século 18, Jenner observou pessoas que ordenhavam vacas, contaminadas por uma doença denominada cowpox ou varíola bovina (muito semelhante à varíola). Elas, após esse contato prévio, tornavam-se imunes à varíola. O médico, então, fez um experimento ousado: retirou a substância da lesão de uma dessas pessoas e inoculou em uma criança de 8 anos, James Phipps, filho de seu jardineiro. Seis semanas depois, no outro braço da criança, inseriu o vírus da varíola, e o garoto não adquiriu a doença. A partir deste experimento, a vacina contra a varíola foi criada.

– É um raciocínio científico perfeito e um experimento que fazemos até hoje chamado de “desafio”’. Nele você deve provar que um vírus pode ser vacinal. Claro que, atualmente, não se faz isso com humanos. O pai da imunologia repetiu os testes e, em dois anos, apresentou resultados em 21 testes diferentes. Em 1800, o processo ganhou nome: “vacinação”, em referência a [“vacina”, do latim “vaccinus”] ser “derivado da vaca” – explica a virologista Clarissa Damaso, assessora da Organização Mundial da Saúde (OMS) para pesquisas sobre o vírus da varíola.

“Vacinação” é um termo que vem de “vacina”[lat. “vaccinum”, “derivado da vaca”], devido aos testes feitos

Em 1959, a Organização Mundial da Saúde (OMS) lançou uma campanha para erradicar a varíola, e, desde 1977, a doença é considerada erradicada, graças à vacinação. Uma das vacinas que está sendo desenvolvida contra a Covid-19 utiliza uma metodologia semelhante com um vírus que causa estomatite — mas está em estágio menos avançado do que aquelas que utilizam RNA e adenovírus.

Pintura que retrata Jenner aplicando a primeira vacina num menino de oito anos
Pintura que retrata Jenner aplicando a primeira vacina em um menino de oito anos

O SARAMPO
O sarampo é uma doença causada por um vírus RNA da família dos paramixovirus. Assim como o Sars-CoV-2, ele causa infecção (ainda que com muito mais eficácia) e se reproduz nas vias aéreas superiores. Cerca de 90% das pessoas suscetíveis que se expõem ao vírus são infectadas, e o ser humano é o único hospedeiro do vírus.

O imunizante foi desenvolvido nos anos 60 e é baseado em um vírus atenuado. São necessárias duas doses, em geral administradas com as vacinas da rubéola e da caxumba.

O sarampo era considerado uma doença erradicada no Brasil desde 2016, quando a Organização Mundial da Saúde (OMS) identificou que o país estava há um ano sem registro de casos do vírus. Porém, isso mudou em 2018, quando foram registrados 995 casos no país.

A POLIOMIELITE

A poliomielite foi descrita pela primeira vez pelo alemão Jakob Heine, em 1840. É causada por um enterovírus conhecido como poliovírus (PV), que é também um vírus RNA. A doença afeta principalmente o sistema nervoso e só acomete seres humanos.

A maioria das infecções de polio é assintomática. A poliomielite está erradicada na maioria dos países ocidentais, mas não ainda em todo o mundo. Espera-se que ela seja a segunda doença viral eliminada do globo, depois da varíola.

Existem outras condições que não são mais vistas na população, mas não pela ação direta do homem (com a vacinação), e sim pela mutação do agente patológico, como é o caso da gripe espanhola, que matou milhares de pessoas entre 1917 e 1918, durante a Primeira Guerra Mundial; após esse período, não foram mais relatados casos da doença.

O vírus influenza A H1N1 sofreu mutações e foi o responsável pelos casos da época.

Leia também1 Covid-19: Entenda a vacinação no Brasil em 10 questões
2 OMS espera que outros países tenham vacina da Pfizer em janeiro
3 Doria anuncia chegada de "lote recorde" de doses da CoronaVac
4 Europa aprova vacina da Pfizer e inicia distribuição nesta semana
5 Covid-19: Brasil vai iniciar estudo inédito com idosos

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.