Leia também:
X Bolsonaro diz que pode ter pego Covid-19 pela 2ª vez sem saber

“Vacinação é imprescindível para retomada da economia”

Marcelo Queiroga falou hoje durante seminário da Abrafarma

Pleno.News - 13/09/2021 17h11 | atualizado em 13/09/2021 17h31

Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga Foto: Walterson Rosa/MS

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse que vacinação, capacidade de detecção de variantes, higiene e saúde pública são “imprescindíveis” para a retomada da economia global em tempos de pandemia. A afirmação foi feita hoje (13), durante um seminário promovido pela Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma).

– Todos sabemos que a contenção da pandemia, por meio da vacinação em massa, da vigilância ativa para detectar rapidamente possíveis novas variantes e das medidas de higiene e saúde pública, é imprescindível para a retomada da economia global – disse Queiroga.

O ministro reiterou os elogios ao Sistema Único de Saúde (SUS), ressaltando sua relevância para o combate à pandemia e os reflexos das ações na economia do país, em meio a uma crise sanitária. Destacou também a contribuição e o papel estratégico do setor de saúde para a economia.

– O setor da saúde também tem importância econômica estratégica, com crescente participação na composição do valor adicionado total da economia brasileira (7,6%), na geração de renda (9,6%) e no número total de empregos (7,1%), com um crescimento no número de postos de trabalho maior que o observado para a média da economia – argumentou.

*Agência Brasil

Leia também1 Bolsonaro diz que pode ter pego Covid-19 pela 2ª vez sem saber
2 Ministro da Saúde entrega novas unidades de saúde a ribeirinhos
3 Casos da doença da urina preta são identificados em 4 estados
4 Por falta de AstraZeneca, Doria ameaça ir ao STF contra União
5 Casa Branca: 'Não esperávamos tanta oposição às vacinas'

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.