Leia também:
X Sem precisar de transplante de rim, homem é operado e morre

Tedros: ‘Distribuição de vacinas é escândalo de desigualdade’

Diretor da OMS diz que um grupo de países "controla o destino do resto do planeta"

Pleno.News - 24/05/2021 11h41 | atualizado em 24/05/2021 11h55

Tedros Adhanom Ghebreyesus, Diretor-Geral da OMS Foto: EFE/EPA/LAURENT GILLIERON

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, classificou a distribuição global de vacinas contra o Coronavírus como um “escândalo de desigualdade que está perpetuando a pandemia”. Segundo Tedros, 75% dos imunizantes aplicados até aqui foram administrados em apenas dez países.

– Não há maneira diplomática de dizer isso: um pequeno grupo de países que fabrica e compra a maioria das vacinas do mundo controla o destino do resto do planeta – criticou, em discurso durante a abertura da Assembleia Global de Saúde.

Tedros Adhanom ressaltou que o número de doses já aplicadas seria suficiente para imunizar todos os profissionais de saúde e idosos do mundo, se distribuídas de forma equitativa. Ele voltou a criticar os governos que iniciaram a vacinação de crianças e grupos de baixo risco, o que seria feito “às custas” de pessoas vulneráveis em outras regiões.

De acordo com o diretor-geral, o programa Covax distribuiu 72 milhões de doses de profiláticos a 125 países, mas o volume não é suficiente.

– Portanto, hoje estou pedindo aos Estados Membros que apoiem um grande esforço para vacinar pelo menos 10% da população de todos os países até setembro, e um “impulso até dezembro” para atingir nossa meta de vacinar pelo menos 30% até o final ano – destacou.

Em apelo a produtores, Tedros Adhanom pediu que as farmacêuticas reservem pelo menos 50% das doses produzidas este ano para o Covax. Ele elogiou a proposta da Índia e da África do Sul de quebrar patentes de vacinas contra a Covid-19.

– Fabricantes disseram que têm capacidade para produzir vacinas se as empresas de origem estiverem dispostas a compartilhar licenças, tecnologia e know-how. Acho difícil entender por que isso ainda não aconteceu – pontuou.

Tedros Adhanom revelou ainda que o programa ACT Accelerator, que visa fomentar a pesquisa sobre a pandemia, precisa de US$ 18,5 bilhões adicionais.

*Estadão

Leia também1 Vacinados contra a Covid-19 no Brasil chegam a 41,9 milhões
2 Índia ultrapassa marca dos 300 mil mortos por coronavírus
3 Quatro estados brasileiros já têm casos suspeitos da cepa indiana
4 Israel anuncia fim das restrições após sucesso na vacinação
5 Estudo: Pfizer e AstraZeneca são efetivas contra variante indiana

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.