Leia também:
X Trump diz que corte de fundos a OMS pode virar definitivo

Taxa de contágio da Covid-19 no Brasil cai de 3,5 para 1,4

Índice mede a quantas pessoas um infectado, em média, transmite a doença

Paulo Moura - 19/05/2020 11h20 | atualizado em 19/05/2020 11h59

Taxa de contágio tem reduzido no Brasil Foto: EFE/Antonio Lacerda

Um dos principais índices a ser considerado no controle da pandemia da Covid-19, a taxa de contágio no Brasil caiu 60% desde o início dos casos da doença no país. Em 3,5 no dia 26 de fevereiro, o número agora está em 1,4, o que significa que, se antes um infectado passava a doença para outras três pessoas, agora ele passa a apenas uma.

A estimativa foi obtida através de uma pesquisa realizada pelo físico nuclear Rubens Lichtenthäler Filho, professor da Universidade de São Paulo (USP), e seu filho, Daniel, médico do Hospital Israelita Albert Einstein.

Segundo os estudiosos, os dados utilizados para alcançar o resultado da pesquisa foram, essencialmente, os divulgados oficialmente pelas autoridades de saúde. Daniel, porém, explicou que os dados oficiais foram tratados para eliminar flutuações estatísticas (em domingos há poucos registros, por exemplo).

A chamada taxa de contágio, ou taxa de reprodução básica, tradicionalmente representada em estudos de epidemiologia pela variável R0, foi escolhida por aparecer como essencial para entender o futuro da pandemia, e ser necessária até para ajudar a determinar, por exemplo, quando a capacidade de leitos em uma cidade pode exceder.

Os dados obtidos por pai e filho foram publicados na última sexta-feira (15), em uma versão preliminar, no portal MedrXiv. Na ocasião, a Ro para o Brasil estava ainda em 1,4.

Leia também1 Sikêra Jr: "Se arrumar cura, o povo da esquerda fica contra"
2 SP: Hospitais Einstein e Sírio-Libanês reduzem salários
3 Governador de Pernambuco é diagnosticado com Covid-19

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.