Leia também:
X Mara Gabrilli tem sequelas graves após Covid-19

Reinfecção pelo coronavírus é confirmada após estudos

OMS fez anúncio de resultado de exames e do primeiro caso de reinfecção do mundo

Pleno.News - 24/08/2020 14h16

Líder técnica da OMS Maria van Kerkhove Foto: Christopher Black/OMS

Um cidadão de Hong Kong, de 33 anos, se tornou o primeiro caso documentado no mundo de reinfecção pelo novo coronavírus, que provoca a Covid-19, de acordo com informações veiculadas nesta segunda-feira (24) pela mídia do território autônomo localizada no sudeste da China.

O paciente havia sido considerado curado em abril, mas no início deste mês, voltou a dar positivo em testes de diagnóstico para o patógeno, após retornar de viagem à Espanha, segundo notícias apresentadas pela emissora pública de televisão RTHK.

De acordo com as autoridades de saúde de Hong Kong, no primeiro momento, se acreditou que o homem poderia ser um “portador persistente” do novo coronavírus e ter mantido o agente infeccioso no organismo ao longo dos meses.

No entanto, os pesquisadores da Universidade de Hong Kong garantem que as sequências genéticas das cepas do vírus que o paciente contraiu são “claramente diferentes”.

A descoberta é considerada um revés para todos que acreditam na estratégia de imunidade de grupo, segundo o próprio estudo.

– Muitos acreditam que os pacientes recuperados da Covid-19 têm imunidade contra as reinfecções, por a maioria ter desenvolver uma resposta baseada em anticorpos neutralizantes no soro – aponta o estudo da Universidade de Hong Kong.

SUSPEITA JÁ HAVIA SIDO LEVANTADA
Os próprios pesquisadores lembram que “já há provas” de que alguns pacientes têm níveis decrescentes de anticorpos, passados poucos meses da primeira infecção pelo novo coronavírus.

O estudo realizado na instituição de ensino e pesquisa do território autônomo já foi aceito pelo jornal médico Clinical Infectious Diseases, publicado pela Universidade de Oxford, no Reino Unido.

De acordo com os especialistas da Universidade de Hong Kong, o “SARS-CoV-2, poderia persistir na população humana, como é o caso de outros coronavírus humanos comuns, associados aos resfriados”.

Por isso, os pesquisadores recomendam que os pacientes recuperados da infecção sigam utilizando máscaras e respeitando o distanciamento social e físico.

– Já que a imunidade poderia ser pouco duradoura, deveria ser considerada também a vacinação para aquele tenham passado por um episódio de infecção – diz o documento.

*Com informações da Agência EFE

Leia também1 Mara Gabrilli tem sequelas graves após Covid-19
2 Quase 76% dos pacientes no Brasil já se curaram da Covid
3 EUA querem o apoio do Brasil para reformar a OMS
4 Depois do pai, mãe do cantor Cauan é internada com Covid
5 Vacina experimental da China é testada em grupos de risco

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.