Leia também:
X Variante indiana pode ser mais resistente a vacinas, diz OMS

Queiroga: ‘Se a CPI me chamar, discuto abertamente o que faço’

Ministro participou da terceira reunião do Comitê da Covid-19 nesta manhã

Pleno.News - 28/04/2021 12h56 | atualizado em 28/04/2021 13h40

Ministro da Saúde Marcelo Queiroga liberou abertura de mais 685 leitos de UTI em 12 estados Foto: Agência Brasil/Fábio Rodrigues Pozzebom
Com a expectativa de ser ouvido na CPI da Covid no Senado, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse nesta quarta-feira (28) que, caso seja convocado, discutirá “abertamente” suas ações na pasta e prestará as informações demandadas pelos senadores.

– A minha preocupação imediata é com CTI [possível referência à sigla Centro de Terapia Intensiva]. A CPI é atribuição do parlamento. Se eles me convocarem, eu vou lá e vou discutir abertamente o que eu tenho feito no Ministério da Saúde. Vocês todos estão vendo – disse o ministro em pronunciamento no Palácio do Planalto.

Queiroga afirma que vai prestar as informações que os senadores desejarem.

– Então, vamos contribuir com a sociedade brasileira. Vamos prestar as informações que os senhores senadores desejarem. E eu acredito que estamos todos juntos no objetivo do enfrentamento à pandemia – acrescentou o ministro da Saúde.

Nesta manhã, Queiroga participou da reunião do Comitê de Coordenação Nacional para Enfrentamento da Pandemia da Covid-19. Foi o terceiro encontro do grupo desde a sua criação, no fim de março. Pela segunda vez seguida, o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), não participou do encontro.

No início de seu pronunciamento, Queiroga destacou que o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), não participaria da sua fala à imprensa porque ainda estava em agenda com o presidente Jair Bolsonaro. Contudo, na agenda oficial do chefe do Executivo não consta a previsão de reunião individual com Pacheco.

Em um revés para o governo, a CPI da Covid foi instalada nesta terça-feira (27) com o senador Renan Calheiros (MDB-AL), indicado como relator. O parlamentar cogita ouvir o atual ministro da saúde, bem como os ex-ministros da pasta.

A CPI deve votar seu plano de trabalho em reunião marcada para quinta-feira (29).

*Estadão

Leia também1 Variante indiana pode ser mais resistente a vacinas, diz OMS
2 Butanvac: Anvisa diz que dados para testes estão incompletos
3 Brasil chega aos 30 milhões de vacinados com a 1ª dose
4 Covid: Saúde inclui gestantes no grupo prioritário para vacinação
5 Rússia vê interesses políticos na negativa da Anvisa à Sputnik

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.