Leia também:
X Covid: Número de vacinados no Brasil passa de 95 milhões

Queiroga diz que intervalo da Pfizer deve cair para 3 semanas

Ministro afirmou que a medida deve ser tomada por que a pasta agora tem segurança na entrega das doses

Paulo Moura - 26/07/2021 09h09 | atualizado em 26/07/2021 09h36

Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou nesta segunda-feira (26) ser “muito provável” que, em breve, seja anunciada uma redução do intervalo entre a aplicação da primeira e da segunda dose da vacina da Pfizer contra a Covid-19 no Brasil. A declaração foi dada pelo chefe da pasta federal à colunista Mônica Bergamo, da Folha de São Paulo.

Com a mudança, o tempo de espera entre as duas aplicações deve cair dos três meses atuais para apenas três semanas. O tempo menor já é previsto na bula da vacina da Pfizer, mas o Ministério da Saúde decidiu, no passado, ampliá-lo para três meses para conseguir imunizar mais rápido um maior número de pessoas com a primeira dose.

– Naquele momento, não tínhamos certeza da quantidade de doses de Pfizer que teríamos neste ano e optamos por ampliar o número de vacinados com a primeira dose. Mas agora temos segurança nas entregas e dependemos apenas da finalização do estudo sobre a logística de distribuição interna dos imunizantes para bater o martelo sobre a redução do intervalo – disse.

Com isso, segundo Queiroga, mesmo mantido o cronograma de entregas da Pfizer, sem antecipação, será possível a redução, desde que confirmada a capacidade logística da distribuição das ampolas. O ministro ressalta, porém, que a palavra final será dos técnicos e dos coordenadores do Programa Nacional de Vacinação (PNI).

De acordo com o chefe da pasta federal, a Pfizer “é muito pontual na entrega das vacinas” e, até dezembro, vai cumprir o contrato e entregar mais 100 milhões de doses ao Brasil. Já a vacina de Oxford/AstraZeneca, produzida no Brasil pela Fiocruz, deve seguir com o intervalo de três meses.

– Ainda faltam estudos para comprovar que a redução desse intervalo poderia ser feita – completa.

Leia também1 Joice "culpa" Bolsonaro por não ter levado caso de agressão à PF
2 Vice da Câmara usou cota para pagar fornecedor de campanha
3 Histórico! Aos 13 anos, Rayssa Leal ganha a prata em Tóquio
4 Humoristas satirizam caso Joice: "Vaza vídeo de segurança"
5 'Tem galinha cantando sobre ovos da outra', provoca Queiroga

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.