Leia também:
X Âncora do JN com coronavírus já respira sem aparelhos

Quarentena em Wuhan será suspensa a partir de 8 de abril

Cidade foi o ponto inicial da pandemia do novo coronavírus

Paulo Moura - 24/03/2020 07h53 | atualizado em 24/03/2020 09h34

A cidade de Wuhan, capital da província de Hubei, onde teve início o surto do novo coronavírus, suspenderá a quarentena imposta a seus moradores desde janeiro, no próximo dia 8 de abril, anunciaram nesta terça-feira (24) as autoridades municipais.

Além disso, o restante das cidades de Hubei suspenderá as restrições de viagem a partir de quarta-feira (25), informou a agência estatal “Xinhua”.

Os moradores de Wuhan poderão sair da cidade se obtiverem um código QR de saúde verde, o que implica que a pessoa em questão não teve contato com alguém infectado ou suspeito de ter a doença.

No dia 23 de janeiro, o governo de Wuhan impôs restrições de tráfego, bem como a suspensão do transporte público e todos os voos e trens de partida, forçando o confinamento de fato dos 11 milhões de habitantes da cidade.

Até aquele dia, o coronavírus causou 17 mortes e afetou 444 pessoas na cidade do centro-leste da China.

De acordo com a última contagem divulgada hoje, 2.524 pessoas faleceram até agora em Wuhan, enquanto o total para a província de Hubei é de 3.160 mortos.

As autoridades locais anunciaram anteriormente que tomariam medidas “progressivas” para suspender as restrições na cidade, o que não incluiu novos casos confirmados da Covid-19 por cinco dias consecutivos até 22 de março.

No entanto, Wuhan publicou um caso local do vírus no último balanço divulgado nesta terça. Até agora, a cidade registrou 50.006 casos confirmados.

Por outro lado, o número total de infectados diagnosticados em toda a China desde o início da pandemia é de 81.171, dos quais 3.277 pessoas morreram.

Um total de 73.159 pessoas também já tiveram alta após terem superado com sucesso a doença.

Enquanto isso, os infectados “ativos” no país asiático já estão abaixo da marca de 5 mil: as contas da Comissão Nacional de Saúde totalizam 4.735, das quais 1.573 permanecem em estado grave (1.527 delas em Wuhan).

A prioridade do governo chinês é agora “proteger contra a importação” de infecções de outros países: até agora, o país asiático confirmou 427 casos importados do exterior.

No último dia 12, o governo chinês declarou que o pico das transmissões havia terminado no país, embora desde então as estatísticas tenham sido protagonizadas pelos chamados “casos importados”.

*Com informações da Agência EFE

Leia também1 YSL e Balenciaga fabricarão máscaras contra a Covid-19
2 Anvisa aprova 3 novos testes de diagnóstico do coronavírus
3 Novos casos de coronavírus desaceleram na Itália

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.