Leia também:
X Portugal aceita cartão de vacina do Brasil, menos CoronaVac

Pfizer diz que vacina é segura para crianças de 5 a 11 anos

Farmacêutica afirmou que buscará, em breve, a autorização dos EUA para aplicar o imunizante

Pleno.News - 20/09/2021 09h50 | atualizado em 20/09/2021 10h03

Fiocruz vai pedir aval para testar vacina de Oxford em crianças Foto: Reprodução/Freepik

A Pfizer disse, nesta segunda-feira (20), que a sua vacina contra a Covid-19 funciona para crianças de cinco a 11 anos. A farmacêutica afirmou que buscará, em breve, a autorização dos Estados Unidos para aplicar o imunizante nessa faixa etária, um passo fundamental para o início da vacinação de crianças.

A vacina fabricada pela Pfizer e por seu parceiro alemão BioNTech já está disponível para qualquer pessoa com 12 anos ou mais em vários países, entre eles o Brasil. E com as crianças agora de volta à escola e a variante Delta extra-contagiosa causando um grande aumento nas infecções pediátricas, muitos pais estão aguardando ansiosamente para vacinar seus filhos mais novos.

Para crianças em idade escolar, a Pfizer testou uma dose muito mais baixa, um terço da quantidade que está em cada injeção dada agora. Mesmo assim, após a segunda dose, crianças de cinco a 11 anos desenvolveram níveis de anticorpos que combatem o coronavírus, disse o Dr. Bill Gruber, vice-presidente sênior da Pfizer, à Associated Press.

A dosagem para crianças também se mostrou segura, com efeitos colaterais temporários semelhantes ou mais leves que os experimentados pelos adolescentes, disse ele.

– Acho que realmente acertamos no ponto ideal – disse Gruber, que também é pediatra.

Gruber disse que as empresas pretendem pedir autorização à FDA (órgão que regulamenta o uso de medicamentos nos Estados Unidos) até o final do mês para uso emergencial nessa faixa etária. Em seguida, o pedido deve ser encaminhado a reguladores europeus e britânicos.

No início deste mês, o chefe da FDA, Dr. Peter Marks, disse à Associated Press que sua equipe avaliará os resultados do estudo assim que a Pfizer entregar os dados. Marks espera saber, em questão de semanas, se as injeções são seguras e eficazes o suficiente para as crianças.

Muitos países ocidentais até agora não vacinaram menores de 12 anos, aguardando evidências de qual é a dose certa e que funciona com segurança em crianças menores.

Mas Cuba começou, na semana passada, a imunizar crianças de dois anos com sua vacina Soberana 2, e os reguladores chineses liberaram duas de suas marcas até a idade de três anos.

COVID-19 EM CRIANÇAS
Embora as crianças corram menor risco de desenvolver a doença de forma grave ou de morte do que as pessoas mais velhas, mais de cinco milhões de crianças testaram positivo para a Covid-19 nos EUA, desde o início da pandemia, e pelo menos 460 morreram, de acordo com a Academia de Pediatria Americana. Os casos de Covid em crianças aumentaram dramaticamente à medida que a variante Delta varreu o país.

– Sinto uma grande urgência em disponibilizar a vacina a crianças com menos de 12 anos. Há uma demanda reprimida para que os pais possam ter seus filhos de volta a uma vida normal – disse Gruber.

ESTUDO
A Pfizer disse que estudou a dose mais baixa em 2.268 alunos do jardim de infância e em crianças em idade escolar. O FDA exigiu o que é chamado de estudo de “ponte” imune: evidências de que as crianças mais novas desenvolveram níveis de anticorpos já comprovados como protetores em adolescentes e adultos.

Isso é o que a Pfizer relatou na segunda-feira em um comunicado à imprensa, mas ainda não em uma publicação científica. O estudo está em andamento e não houve casos de Covid-19 suficientes entre as crianças analisadas para comparar as taxas entre os vacinados e aqueles que receberam um placebo – algo que pode oferecer evidências adicionais.

O estudo não é grande o suficiente para detectar quaisquer efeitos colaterais extremamente raros, como a inflamação do coração que às vezes ocorre após a segunda dose, principalmente em homens jovens.

Marks, do FDA, disse que os estudos pediátricos devem ser grandes o suficiente para descartar qualquer risco maior para crianças pequenas.

Gruber, da Pfizer, disse que, assim que a vacina for autorizada para crianças mais novas, elas serão cuidadosamente monitoradas para riscos raros, assim como qualquer outra pessoa.

Um segundo fabricante de vacinas dos EUA, a Moderna, também está estudando suas vacinas em crianças em idade escolar.

A Pfizer e a Moderna estão estudando crianças ainda mais novas, de até 6 meses. Os resultados são esperados no final do ano.

*AE

Leia também1 Portugal aceita cartão de vacina do Brasil, menos CoronaVac
2 Governo de SP: Morte de menina não foi por reação a vacina
3 Vacina: Queiroga diz que limitou público adolescente por cautela
4 "Vacinação é imprescindível para retomada da economia"
5 Anvisa autoriza uso de mais um medicamento contra a Covid-19

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.