Leia também:
X Wizard defende uso precoce da cloroquina: “Salva vidas”

Governo federal nomeia novo sec. de Vigilância em Saúde

Arnaldo Medeiros foi o escolhido para substituir Wanderson de Oliveira

Paulo Moura - 05/06/2020 07h39 | atualizado em 05/06/2020 08h11

Arnaldo Correia de Medeiros é o novo secretário de Vigilância em Saúde Foto: Reprodução

O governo nomeou o novo secretário de Vigilância em Saúde nesta sexta-feira (5). O nome escolhido foi de Arnaldo Correia de Medeiros, cujo nome consta no Diário Oficial da União desta sexta. Medeiros substitui Wanderson de Oliveira que ocupou a função durante as gestões de Luis Henrique Mandetta e Nelson Teich.

O novo secretário é graduado em ciências farmacêuticas pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB), tem mestrado em bioquímica e imunologia pela Universidade Federal de Minas Gerais e doutorado em ciências biológicas (Bioquímica) pela Universidade de São Paulo (1995).

Dados da plataforma Currículo Lattes, do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), informaram que o novo secretário de Vigilância em Saúde era, até pelo menos 20 de abril, professor titular da Universidade Federal da Paraíba.

Na área administrativa, Medeiros tem experiência em gestão hospitalar como superintendente e diretor de Planejamento do Hospital Universitário Lauro Wanderley, da UFPB, e gestão pública como pró-reitor adjunto da Pró-Reitoria de Promoção e Assistência ao Estudante da UFPB. Ele também foi diretor de Atenção á Saúde e Vice-Presidente Executivo da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH).

Leia também1 Wizard defende uso precoce da cloroquina: "Salva vidas"
2 Secretário de Saúde do RJ critica gestão de antecessor
3 Estudo que descreditou cloroquina é retirado do ar
4 Fernando de Noronha volta a registrar casos de coronavírus
5 Vacina: Laboratório prevê produção de 2 bilhões de doses

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.