CORONAVÍRUS
- Tudo o que você precisa saber
-->
Leia também:
X Cristãos se ajoelham nas ruas de Pernambuco para orar

Médico “cortado” pela CNN diz que quarentena não é eficaz

Anthony Wong defendeu que medida poderá fazer com que ápice dos casos aconteça no inverno

Paulo Moura - 02/04/2020 09h32 | atualizado em 02/04/2020 09h38

Anthony Wong participou de debate no Aqui na Band Foto: Reprodução

Após ter a fala cortada ao vivo na CNN Brasil, o médico toxicologista Anthony Wong voltou a defender que a medida de isolamento total, utilizada atualmente em vários estados do Brasil, será pouco efetiva contra a Covid-19.

Dessa vez, porém, na TV Band, ele afirmou que a estratégia apenas conseguirá empurrar o pico de casos para o inverno, o que poderá ser pior.

– Com a quarentena você vai simplesmente empurrando pra frente, por que as pessoas que não adquiriram os anticorpos vão [causar] um segundo pico – destacou.

Participando de um debate sobre a doença no programa Aqui na Band, Wong reforçou que a medida adequada seria de distanciamento social, cuja aplicação é feita mantendo os grupos de risco em casa e colocando as outras pessoas na rua para que elas possam adquirir anticorpos contra o vírus.

– Você mantém as pessoas críticas em casa, e as outras pessoas circulam para poder adquirir anticorpos e por que vão ter uma doença leve ou nenhuma doença – explicou.

View this post on Instagram

A post shared by Flávio Bolsonaro (@flaviobolsonaro) on

O médico também mostrou um quadro com um comparativo entre os países que adotaram o chamado “lockdown”, o isolamento extremo da população, e os que não adotaram. Os números apontam que a quantidade de mortos por milhão de habitantes é bem maior em países como Itália e Espanha, que adotaram a medida.

Na explicação, o doutor Wong também destacou que países com temperatura mais alta, acima de 20°, estão freando a contaminação pelo novo coronavírus. Como exemplo, ele mostrou que a média registrada nesses locais está abaixo de dois dígitos para mortes por milhão de pessoas.

– Não tem um país com temperatura acima de 20° que tenha acima de um em mortes por milhão. Temperaturas acima de 17° freiam a disseminação do coronavírus – destacou.

Leia também1 CNN Brasil corta médico que falava mal de isolamento
2 Após isolamento, Áustria vive maior desemprego em 75 anos
3 "Não fui apenas ofendido, mas sentenciado", relata Gottino

Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo