Leia também:
X Sete estados mostram queda em novas mortes por Covid-19

Jovem curada da Covid-19 foi tratada com telemedicina

Microempreendedora é do grupo de risco e foi infectada dentro de casa

Camille Dornelles - 19/06/2020 15h01 | atualizado em 28/07/2020 12h56

Fabiana Hachuy, curada da Covid-19, relata medo após recuperação Foto: Arquivo pessoal

A microempreendedora Fabiana Hachuy, de São Paulo, se colocou em isolamento no dia 12 de março, com medo de ser infectada pelo novo coronavírus. Os casos seguiam aumentando em sua cidade a cada dia e seu estado de saúde inspirava maiores cuidados.

Fabiana tem 36 anos, mas sofre com doenças respiratórias e artrite reumatoide desde a adolescência. Por isso, decidiu ficar em casa em isolamento total. Dois meses depois, porém, veio a confirmação de que ela tinha sido infectada dentro de casa.

A organizadora de eventos falou com o Pleno.News sobre a descoberta da doença. Ela revelou que o marido também foi infectado e descobriu durante um exame coletivo no trabalho.

Como você descobriu? Quais foram os sintomas que teve?
A descoberta da Covid-19 foi despertada após meu esposo ter feito exame em 19 de maio a pedido da empresa. Ele não tinha nada de sintoma, mas depois do resultado relatou sentir dor de cabeça e dor no peito. Ele e outros seis colaboradores de seu trabalho testaram positivo. Quando pegamos o resultado dele, logo ficamos preocupados. Eu sou do grupo de risco e, embora esteja em isolamento total desde 12 de março, eu poderia também estar infectada. Fiquei desesperada, pois uns três dias antes estava com muita dor de cabeça, diarreia e sintomas de conjuntivite. Minha sinusite crônica estava atacada, mas nem cogitei que fosse Covid! Após o resultado dele, meus sintomas começaram a se agravar. Senti falta de ar por 17 dias, dor no corpo, fadiga, coriza, uma sensação de ouvido entupido… Enfim, bem complicado.

Você está dentro do grupo de risco da doença por sofrer com síndromes respiratórias, certo?
Tenho artrite reumatoide juvenil e bronquite, seguida de outras comorbidades como sinusite e rinite.

Você foi tratada com telemedicina?
Isso. Liguei para o serviço de telemedicina do meu convênio de saúde e então me orientaram para que eu não fosse ao hospital porque não seria seguro. Fiz uma consulta médica online três dias depois e relatei meu caso. A médica receitou um exame PCR (teste para Covid-19) e remédio para dor, apenas. Eu tomei também um remédio corticoide, chás e fiz inalação todos os dias. Senti que os médicos estavam muito perdidos. Não fiz o teste de imediato, apenas no meu 12º dia de sintomas. Me consultei com outro médico e esse me receitou um exame de sangue e betametasona. O exame de sorologia confirmou o diagnóstico positivo, mas já havia a presença de defesa no meu corpo contra o vírus, para honra e glória de Deus!

E como foi o período de recuperação?
Sou casada e em casa moramos apenas meu esposo e eu. Assim que ele testou positivo nós ficamos isolados um do outro. Mas desde março estou sem contato com o mundo lá fora e amigos e parentes

Agora, duas semanas após o fim dos sintomas, como se sente?
Hoje estou recuperada, mas ainda tenho dores no corpo e, às vezes, falta de ar. Tenho medo, porque a Covid não é mais “desconhecida” para mim. Sou grata por ter saído bem dela, mas o pânico de pensar que posso ser infectada de novo me desespera.

Leia também1 Sete estados mostram queda em novas mortes por Covid-19
2 Desempenho da atividade industrial começa a melhorar
3 Covid: Brasil passa de 500 mil curados, aponta universidade
4 Agências do INSS devem ficar fechadas até julho
5 Covid: China, EUA e Inglaterra lideram corrida por vacina

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.