CORONAVÍRUS
- Tudo o que você precisa saber
-->
Leia também:
X Witzel ameaça prender quem desrespeitar o isolamento

Johnson & Johnson testará vacina a partir de setembro

Farmacêutica disse que medicamento contra Covid-19 deve estar pronto no início de 2021

Paulo Moura - 30/03/2020 14h55

Johnson & Johnson promete vacina contra Covid-19 para 2021 Foto: Pixabay

A empresa farmacêutica Johnson & Johnson (J&J) anunciou nesta segunda-feira (30) que começará a testar, no mês de setembro, sua vacina experimental contra a Covid-19 em humanos, e que poderá estar pronta para uso emergencial no início de 2021.

Através de um comunicado, a farmacêutica informou que investiu mais de 1 bilhão de dólares (cerca de R$ 5 bilhões), em parceria com a Autoridade de Desenvolvimento e Pesquisa Biomédica Avançada, que se reporta ao Departamento de Saúde dos Estados Unidos, para o seu desenvolvimento, iniciado em janeiro.

A vacina que a empresa está desenvolvendo entrará na fase de testes em humanos por volta de setembro, de acordo com a J&J, explicando que espera ter os dados necessários sobre seus efeitos até o final do ano e que, se os testes progredirem bem, poderá estar pronta para uso emergencial no início de 2021.

Após o anúncio, as ações da empresa farmacêutica subiram mais de 7% na Bolsa de Valores de Nova York. De acordo com a emissora de TV “CNBC”, a empresa também está aumentando sua capacidade de fabricação nos EUA e em outros países para produzir mais rápido essa potencial vacina.

A esse respeito, a empresa explicou que esperam produzir mais de 1 bilhão de doses. O presidente da Johnson & Johnson, Alex Gorsky, disse que a empresa tem “muito bons pré-indicadores” de que a vacina será “segura”.

Segundo Gorsky, a empresa está trabalhando com “base sem fins lucrativos”, embora não tenha dado detalhes sobre quanto poderia ser seu preço de venda.

*Com informações da Agência EFE

Leia também1 OMS diz que é preciso pensar "nos que perderam a renda"
2 Pesquisa brasileira decifra características do coronavírus
3 Enfermeira na Alemanha avalia situação de pandemia

Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo