Leia também:
X Em consulta, maioria é contra vacinação infantil obrigatória

Governo define prioridades na vacinação infantil contra Covid

Imunização deve começar pelas crianças com comorbidade

Paulo Moura - 04/01/2022 13h36 | atualizado em 04/01/2022 14h03

Vacina contra a Covid-19 Foto: EFE/Toms Kalnins/Archive

Durante a audiência pública realizada nesta terça-feira (4) sobre a vacinação de crianças de 5 a 11 anos contra a Covid-19, o Ministério da Saúde apresentou os detalhes de como vai ocorrer a imunização dessa parcela da população. De acordo com a secretária extraordinária de Enfrentamento à Covid-19, Rosana Leite de Melo, em todos os casos será exigida a prescrição médica.

– Será exigida a prescrição médica e autorização dos pais ou responsáveis mediante assinatura de termo de consentimento. As vacinas devem ser aplicadas seguindo fielmente as recomendações da Anvisa – disse.

No que diz respeito à ordem de prioridade, serão vacinadas primeiro as crianças de 5 a 11 anos de idade com deficiência permanente ou comorbidade. Na sequência, serão imunizadas as crianças que vivam em lares com pessoas de alto risco para evolução grave de Covid-19. Ao final, as demais crianças serão vacinadas na seguinte ordem: de 10 e 11 anos; de 8 e 9 anos; de 6 e 7 anos; e, por fim, de 5 anos.

Além de ter a participação de representantes do Ministério da Saúde, a audiência pública desta terça também contou com debates de grupos médicos contrários e favoráveis à imunização de crianças contra o coronavírus. Convidada, a Anvisa se recusou a fazer parte do evento.

– A Anvisa, por seu caráter técnico, visualiza que sua participação na audiência pública não agregaria novos elementos à temática – afirmou a entidade, em ofício enviado ao Ministério da Saúde.

Na segunda-feira (3), o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, adiantou que as doses para a vacinação das crianças devem chegar em 10 de janeiro, e a campanha terá início ainda na segunda quinzena deste mês.

Leia também1 STF recebeu quase 76 mil novos processos em 2021
2 Em consulta, maioria é contra vacinação infantil obrigatória
3 Haddad diz que Bolsonaro teve uma 'dor de barriga conveniente'
4 Miriam Leitão critica Bolsonaro: "Exagerado... não pareceu grave"
5 Oração: Gabigol recebe o pastor Leonardo Sale em casa

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.