Leia também:
X Quarentena: Histórias de quem cumpre o isolamento até hoje

Fiocruz prevê vacinar 130 milhões contra a Covid em 2021

Fundação aumentou expectativa de vacinação após anúncio de eficácia divulgado pela AstraZeneca e Universidade de Oxford

Pleno.News - 23/11/2020 18h13 | atualizado em 23/11/2020 21h11

Fiocruz aumenta expectativa e prevê vacinar 130 milhões contra a Covid, em 2021 Foto: EFE/Hotli Simanjuntak

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) aumentou a expectativa de vacinação dos brasileiros contra o coronavírus após o anúncio de eficácia divulgado pela AstraZeneca e a Universidade de Oxford. Segundo a instituição, a previsão é vacinar 65 milhões de brasileiros no primeiro semestre do ano que vem e outros 65 milhões no segundo semestre de 2021. A expectativa da Fiocruz é começar a vacinação entre o fim de fevereiro e o início de março

O aumento de 30% no alcance da vacina ocorre porque a estratégia que se mostrou mais eficaz é a de usar meia dose, e não uma dose inteira, na primeira etapa. A vacina de Oxford foi administrada de duas formas diferentes: na primeira delas, os voluntários receberam metade de uma dose e, um mês depois, uma dose completa. Nesse grupo de voluntários, a eficácia foi de 90% Já no segundo grupo, que recebeu duas doses completas da vacina, a eficácia foi reduzida a 62%.

– O que nos deixa mais otimistas é que esse protocolo com eficácia de 90% traz um ganho de rendimento porque a primeira dose será com quantidade menor da vacina. E isso tem impacto muito significativo porque permite que o número de pessoas que vão receber cresça 30% – disse Marco Krieger, vice-presidente de Produção e Inovação em Saúde da Fiocruz.

A produção do imunizante pela Fiocruz e aplicação da vacina, no entanto, ainda dependem da aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A AstraZeneca informou que se prepara para submeter imediatamente os resultados de eficácia às agências regulatórias ao redor do mundo, incluindo a Anvisa.

Segundo Krieger, havia a expectativa de produzir 200 milhões de doses para vacinar 100 milhões de pessoas no Brasil no ano que vem.

– Vamos conseguir produzir 260 milhões de doses e vacinar 130 milhões de brasileiros (em 2021) – contou Krieger.

A estratégia de priorização de quem receberá a vacina ainda está sendo definida, mas é provável que sejam priorizadas as pessoas mais vulneráveis, como os idosos, e os profissionais de saúde.

Não está descartado, porém, começar a vacinação em regiões do Brasil que estejam com altos números de infectados no momento em que o imunizante estiver disponível.

– A vacina pode ser usada para diminuir a propagação da doença (em uma determinada região), mas hoje, com a doença espalhada para todo o País, tende a ser (aplicada) nas populações mais vulneráveis, profissionais de saúde e, gradativamente, ser expandida de forma bastante significativa – falou Krieger.

Ele considera que mesmo os 65 milhões de vacinados no primeiro semestre contribuirão com a redução da propagação da doença no país. Serão aplicadas duas doses. A primeira terá menos imunizante. A segunda, de dose completa, será aplicada 28 dias depois.

*Estadão

Leia também1 Para OMS, renunciar às festas de fim de ano é 'aposta mais segura'
2 Cassiane tem melhora após 25% do pulmão comprometido
3 "Estados e municípios devem explicar testes prestes a vencer"
4 Duda Nagle pede orações pela mãe internada com Covid-19
5 Com #LockdownNão, brasileiros se manifestam contra a medida

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.