Leia também:
X Dra. Raíssa Soares tem redes bloqueadas: “Não vão me parar”

Criadora de vacina anticovid diz que próxima pandemia será pior

Para Sarah Gilbert, experiência com a Covid-19 deve ser usada como "preparação"

Pleno.News - 06/12/2021 11h20 | atualizado em 06/12/2021 15h54

[Imagem ilustrativa] Foto: Pixabay
As futuras pandemias podem ser mais mortais do que a atual, de Covid-19. Portanto, serão necessários mais fundos para nos prepararmos, de acordo com Sarah Gilbert, uma das criadoras da vacina Oxford/AstraZeneca.

– Esta não será a última vez que um vírus ameaçará nossas vidas e meios de subsistência. A verdade é que a próxima [pandemia] será pior, poderá ser mais contagiosa ou mais letal, ou ambas [as coisas] – disse a cientista, durante evento em Oxford e que será transmitido nesta segunda-feira (6) pela BBC, embora alguns trechos de seu discurso já tenham sido divulgados.

A cientista da Universidade de Oxford insistiu que o conhecimento adquirido na atual crise da Covid-19 deve ser usado para a preparação em relação ao futuro.

Em relação à variante Ômicron, Sarah Gilbert destacou que, devido às suas mutações, o vírus parece ser mais facilmente transmitido e as vacinas podem ser menos eficazes na prevenção da infecção, mas insistiu que isso não significa que sejam menos eficazes na redução de doenças graves ou da morte.

– Até sabermos mais, devemos ser cautelosos e tomar medidas para desacelerar a disseminação dessa nova variante – afirmou.

A intervenção de Sarah Gilbert coincide com as novas restrições impostas pelo governo britânico para reduzir a propagação do coronavírus, tais como o uso obrigatório de máscaras faciais nos transportes públicos e nas lojas, enquanto todos os viajantes que entram no país, tanto vacinados como os que não estão, serão obrigados a fazer um teste de PCR no segundo dia de entrada.

A partir de terça-feira (7), as autoridades britânicas também exigirão um teste de antígeno ou PCR 48 horas antes de alguém embarcar para o Reino Unido.

*EFE

Leia também1 Ômicron: Países já relatam casos de transmissão comunitária
2 "Não suportaremos mais um lockdown", afirma Bolsonaro
3 OMS admite que Ômicron pode diminuir eficácia de vacinas
4 Saiba o que dizem as fabricantes de vacina sobre a Ômicron
5 Clínica chamada Ômicron quer proibir OMS de usar nome

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.