Leia também:
X Brasil promete vacinas contra Covid-19 a “países irmãos”

Covid: Saiba quem pode tomar os remédios aprovados no Brasil

Remdesivir e Regn-CoV2 receberam aval da Anvisa no combate ao coronavírus

Thamirys Andrade - 22/04/2021 13h41 | atualizado em 22/04/2021 14h49

Remédios se mostraram seguros no tratamento da doença Foto: Reprodução/Gilead

Atualmente, dois medicamentos possuem aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para o tratamento contra a Covid-19. O remdesivir recebeu aval no dia 12 de março, enquanto o coquetel asirivimabe + imdevimabe (Regn-CoV2) foi aprovado na última terça-feira (20).

Ambos utilizados pelo ex-presidente norte-americano Donald Trump, os remédios foram considerados pela Anvisa seguros e eficazes contra a doença em determinados casos.

REMDESIVIR
O antiviral é capaz de impedir a replicação do coronavírus em estágios mais avançados. É indicado para pacientes com mais de 12 anos e mais 40 quilos que apresentem quadros de pneumonia e falta de oxigênio, mas que não estão em ventilação mecânica.

Segundo estudos analisados pela Anvisa, o medicamento diminui o tempo de hospitalização e a necessidade de receber oxigênio, acelerando o processo de recuperação.

O remdesivir, porém, não pode ser encontrado nas farmácias e é administrado exclusivamente em ambiente hospitalar diretamente na veia dos pacientes, sob prescrição médica.

REGN-COV2
O coquetel é feito a partir de anticorpos monoclonais (asirivimabe e imdevimabe) e também apresenta a função de frear a replicação do vírus. É indicado para quadros leves e moderados da da doença, em pessoas acima dos 12 anos que possuem comorbidades.

De acordo com pesquisa que contou com 799 voluntários, uma única dose de 1.200 mg de Regn-Cov2 reduziu mortes decorrentes da doença e também o tempo de sintomas em pacientes ambulatoriais sintomáticos.

Vale ressaltar que o uso não é recomendado para pacientes em quadro grave, pois pode acabar piorando o quadro de saúde.

Tal como o remdesivir, o Regn-CoV2 não pode ser encontrado nas farmácias, e é administrado em ambiente hospitalar por via intravenosa sob prescrição médica.

Leia também1 Brasil promete vacinas contra Covid-19 a "países irmãos"
2 Butantan retoma produção da CoronaVac após atraso de insumos
3 Doria informa que irá tomar a CoronaVac no dia 29 de abril
4 Pessoas com comorbidades serão vacinadas por idade, diz Saúde
5 Bolívia pede quebra de patentes de remédios e vacinas anticovid

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.