Leia também:
X Covid: Brasil registra menor média de mortes desde janeiro

Covid: Defeito do sistema imune é causa de 20% das mortes

Pesquisa também indicou por que a Covid-19 tem sido mais letal aos homens

Paulo Moura - 26/08/2021 14h53 | atualizado em 26/08/2021 15h33

Anticorpos defeituosos podem ser responsáveis pela piora da Covid-19 Foto: Pixabay

Dois estudos publicados nesta semana podem revelar por que certas pessoas se infectaram com o coronavírus e superaram a doença facilmente, enquanto outras adoeceram até a morte.

Uma das pesquisas indicou que quase 20% das mortes por Covid se devem ao fato de os pacientes gerarem um tipo de proteína que, em vez de protegê-los do vírus, aumentou os efeitos deste no organismo.

Um consórcio internacional de cientistas e médicos já alertava, há quase um ano, que 10% dos pacientes geravam autoanticorpos, proteínas do sistema imunológico que inexplicavelmente se voltam contra o organismo do paciente. Esses “anticorpos defeituosos” atacam os interferons tipo 1, conjunto de moléculas responsáveis por interceptar o vírus logo após a entrada dele no corpo humano.

Ao interceptar o vírus, os interferons “disparam” um alarme generalizado em todos os tecidos para que as células ativem seu mecanismo de proteção. O bloqueio dessa molécula, com o ataque aos interferons, foi suficiente para que a infecção se agravasse e colocasse em risco a vida do paciente.

Em novos estudos feitos com mais de 3.500 pacientes em estado crítico devido à Covid-19 e publicados esta semana na Science Immunology, os dados mostram que quase 14% dos pacientes gravemente enfermos tinham esses anticorpos defeituosos. O estudo também mostra que esses autoanticorpos são muito mais comuns em pessoas mais velhas, sobretudo acima dos 70 anos.

A presença desses autoanticorpos também é maior em pacientes com algumas doenças imunológicas prévias, como o timoma, que atinge o timo, espécie de quartel onde os membros do sistema imunológico são treinados para diferenciar quais moléculas são suas e não devem ser atacadas e quais pertencem a agentes patogênicos e devem ser mortas.

ESTUDO TAMBÉM APONTA MOTIVOS DE LETALIDADE MAIOR PARA HOMENS
Já um segundo estudo fala sobre um dos motivos por que a Covid-19 tem sido mais letal aos homens. É uma mutação no gene TLR7, que predispõe à doença mais severa. Esse gene está no cromossomo X, o que torna os homens muito mais vulneráveis.

No nível genético, um homem difere de uma mulher por ela ter duas cópias do cromossomo X, e ele apenas uma. Este é um “seguro de vida” para mulheres, pois nesse cromossomo existem vários genes-chave para o bom funcionamento do sistema imunológico. Ter duas versões desse cromossomo torna a cópia saudável capaz de neutralizar os efeitos da cópia defeituosa.

A ligação direta entre o sexo biológico e o funcionamento do sistema imunológico é o ponto fundamental das análises, já que, na maioria das vezes, não é o vírus que mata o paciente, mas a reação defeituosa do seu sistema imunológico. Depois que o vírus entra no corpo, alguns pacientes produzem um grande número de moléculas inflamatórias que agravam a pneumonia.

Além desse fato, os homens mais velhos geram menos linfócitos T, capazes de identificar e destruir células infectadas. Um dos principais fatores de risco para Covid-19 é a idade, em parte porque o sistema imunológico envelhece e funciona cada vez pior. Mas esse envelhecimento imunológico geralmente ocorre mais cedo nos homens do que nas mulheres.

Leia também1 João Doria diz que não permitirá atos da esquerda em SP no dia 7
2 Lula se reúne com filho de Renan Calheiros: "Mesmo pensamento"
3 Atentado em aeroporto deixa ao menos 13 mortos, diz Talibã
4 PT usa bandeira do Vietnã ao convocar militância para o dia 7
5 Morre Cleusa Piragine, esposa do pastor titular da PIB de Curitiba

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.