Leia também:
X SP deve divulgar eficácia da CoronaVac até 7 de janeiro

Cientistas testam medicamento de prevenção contra a Covid-19

Pesquisa é feita pela AstraZeneca em parceria com universidade britânica

Pleno.News - 26/12/2020 11h43 | atualizado em 28/12/2020 16h43

Terapia com anticorpos conferiria imunidade instantânea contra a doença Foto: Reprodução

Cientistas do Reino Unido estão testando um novo medicamento, desenvolvido pela University College London Hospitals (UCLH) e pela AstraZeneca, que pode impedir que alguém exposto ao coronavírus desenvolva a doença Covid-19, e, assim, salvar muitas vidas, segundo publicação do The Guardian.

A terapia com anticorpos conferiria imunidade instantânea contra a doença e poderia ser administrada como um tratamento de emergência a pacientes internados em hospitais e em residenciais para idosos, a fim de ajudar a conter os surtos.

Pessoas que vivem em famílias em que alguém pegou Covid-19 também podem receber o medicamento, para garantir que não sejam infectadas. Além disso, pode ser dado a estudantes universitários, entre os quais o vírus se espalhou rapidamente.

– Se pudermos provar que este tratamento funciona e evitar que as pessoas sejam expostas ao vírus para desenvolver o Covid-19, seria uma adição importante ao arsenal de armas que está sendo desenvolvido para combater esse vírus terrível – afirma a médica Catherine Houlihan, virologista da University College London Hospitals que está liderando o estudo sobre o medicamento.

A equipe espera que o teste mostre que o coquetel de anticorpos protege contra Covid-19 de 6 e 12 meses. Os participantes dos testes estão recebendo o medicamento em duas doses. Se for aprovado, o medicamento será oferecido a quem foi exposto à Covid nos oito dias anteriores.

Segundo Houlihan, o remédio poderá estar disponível em março ou abril, se for aprovado pelo regulador de medicamentos, após análise das evidências do estudo.

– A vantagem deste medicamento é que ele fornece anticorpos imediatos – explica Houlihan.

*Estadão

Leia também1 SP deve divulgar eficácia da CoronaVac até 7 de janeiro
2 Pandemia: Argentina volta a barrar entrada de brasileiros
3 Em mensagem, papa pede que todos tenham acesso à vacina
4 Gilmar defende vacinação 'urgente' contra Covid
5 Elizabeth II deixa mensagem para afetados pela pandemia

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.