Bolsonaro sanciona lei sobre quarentena do coronavírus

Quase 40 brasileiros serão retirados da China neste fim de semana

Pleno.News - 07/02/2020 09h13

O presidente Jair Bolsonaro sancionou, nesta quinta-feira (6), o projeto que cria as regras para colocar em quarentena os brasileiros evacuados do epicentro da epidemia de coronavírus na China.

O texto tramitou com rapidez no Congresso para ser aprovado antes do retorno ao país dos brasileiros que serão repatriados de Wuhan, na China. A conclusão dos trâmites legislativos da matéria ocorreu na quarta (5).

Bolsonaro vinha apontando a ausência de uma lei que criasse a figura jurídica da quarentena sanitária como um dos obstáculos para a evacuação dos brasileiros de Wuhan. O objetivo da norma agora sancionada é justamente suprir essa lacuna.

– Considerando a situação de emergência de saúde pública de importância internacional decorrente do coronavírus, consoante já reconhecido pela Organização Mundial de Saúde, o anteprojeto de lei visa adequar a legislação interna, coordenando as ações e os serviços do SUS em todas as esferas federativas para permitir uma atuação eficiente e eficaz, mediante a definição de instrumentos que possibilitem o enfrentamento ágil da situação de emergência sanitária internacional existente, objetivando a proteção da coletividade, com maior segurança jurídica – argumentou o ministro Luiz Henrique Mandetta, da Saúde, na exposição de motivos.

Em uma live nas redes sociais, Bolsonaro disse que cerca de 40 brasileiros deverão ser retornados ao país. Eles permanecerão em quarentena de 18 dias em uma base militar na cidade de Anápolis (GO). Estrangeiros de países da América do Sul e da Polônia –país onde as aeronaves realizarão escala–também poderão ser transportados nos assentos livres, disse Bolsonaro. Ele calculou em 10 o número de vagas disponíveis para esses estrangeiros.

Antes do embarque em Wuhan, os brasileiros e demais passageiros passarão por exames e avaliação médica.

*Folhapress

LEIA TAMBÉM+ Casos de coronavírus em cruzeiro no Japão chegam a 61
+ Bolsonaro: "Avião pode trazer estrangeiros da China"
+ Morre o médico chinês que fez 1º alerta sobre coronavírus


Clique para receber notícias
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo