CORONAVÍRUS
- Tudo o que você precisa saber
-->
Leia também:
X Reabertura de igrejas: Riscos, impactos e possibilidades

Entrevista: Sexualidade e filhos na quarentena

Pastora Ângela Sirino faz live com Pleno.News e aborda sobre desafios neste período de pandemia

Virgínia Martin - 05/06/2020 17h56 | atualizado em 05/06/2020 18h00

“A gente tem que trazer à memória aqueilo que nos traz esperança”

Nesta sexta-feira (5) , a pastora Angela Sirino esteve participando do Pleno.Entrevista Live. Com seu bom-humor e sua clareza no tratamento dos assuntos, ela falou sobre o aprendizado que as pessoas têm obtido com esta pandemia, especialmente as mulheres. Abordou os desafios com os filhos, a sexualidade no casamento, as neuras femininas e como as dores podem ser transformadas em lições de vida.

Ângela Sirino é casada com Osmildo Sirino e é mãe de 3 filhos. Tem várias obras publicadas e atua como psicanalista, pastora e como palestrante. Pastora Ângela também presidente a organização MFD – Ministério Fazendo a Diferença, trabalhando mulheres e com famílias.

Sobre sexualidade, tema bastante procurado pelas mulheres, Ângela é sincera e fala abertamente que o casal não deve se privar de ter relações sexuais neste período de quarentena, por medo de contágio.

– Não acho que marido e mulher devem ficar separados. Mesmo que um deles seja profissional de saúde, tem que ter relacionamento. Eu não fico sme meu marido. Posso pegar o vírus, mas não fico sem um “cheiro” dele.

A pastora ressaltou que há mulheres com medo de sairem às ruas ou com algumas neuroses de que não podem fazer isso e aquilo. Para todas, ela orienta que é se proteger com sabedoria, descansar em Jesus e que pensamentos negativos apenas diminuem a imunidade.

Também comentou sobre mulheres que se desesperam com situações de conflito, seja financeiro ou seja com filhos. Mas que é preciso focar na solução e não no problema.

– Certa vez, uma imrã me procurou porque sua empresa tinha fechado. Eu disse que ela precisava primeiro se acalmar e depois a gente conversava. Orientei para ela tentar trazer à sua memória tudo o que poderia lhe trazer esperança. Tempos depois, ela me contou que tinha começado a fazer sousplat para colocar na mesa e começou a compor mesas lindas e estav cheia de encomendas.

A entrevista na íntegra pode ser acessada no IGTV do Instangram do Pleno.News.

 

Leia também1 Abuso sexual infantil no isolamento: Reconheça sinais
2 Família: Como se manter unida diante do Covid 19

Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo