“A pessoa certa te aproxima de Deus”, diz Mariana Aguiar

Cantora lançou single e clipe romântico e compartilhou a experiência da vida a dois

Rafael Ramos - 27/05/2019 11h30

Mariana Aguiar lançou música romântica inspirada no marido Foto: Divulgação

Em um clima bastante romântico, já preparando os corações para o Dia dos Namorados, a cantora Mariana Aguiar lança o clipe da canção Disse Sim. Escrita pela própria Mariana, o single teve produção de Tadeu Chuff e a direção de vídeo é de Samuel Andrade, da Sadrak Filmes.

A inspiração para a música veio do casamento de dois anos com João Pedro Bailune. Os dois tomaram a decisão após um ano e oito meses de um namoro que começou com uma amizade. Em entrevista ao Pleno.News, Mariana Aguiar falou sobre o projeto musical, contou um pouco de sua história de amor e compartilhou algumas lições para aqueles que sonham em construir uma vida a dois.

Como nasceu a canção Disse Sim?
Acordei às três da manhã e a música veio pronta na minha cabeça. Meu coração estava cheio de alegria pelo meu esposo e pelo meu casamento. Disse Sim fala sobre como é a vida de casado depois da cerimônia e da festa.

E como foi esse depois da festa para vocês dois?
Nós somos muito diferentes. Por exemplo, eu sou vascaína e ele é flamenguista. Mas acredito que Deus não une pessoas, Ele une propósitos e sempre vai te unir a uma pessoa que vai te ajudar a cumprir o propósito nessa terra. É um ajudando o outro porque o ministério é nosso. O começa da minha vida de casada foi super tranquila. Um dia antes do casamento, estava comendo x-tudo na praça do meu bairro às três da manhã. Nunca me senti pressionada a casar. Nossos pais até se espantaram porque só tínhamos um ano e oito meses juntos. Mas acredito que é Deus, é algo muito sem explicação. No ano do meu casamento, assinei contrato com a MK Music. Está tudo no propósito de Deus.

Sendo tão jovens, que conselho dão a essa geração sobre casamento e vida a dois?
Mariana: As pessoas estão muito independentes hoje em dia. As mulheres querem ser muito independentes e fica complicado. Tem a questão da submissão que muitas não aceitam, mas sem isso é muito difícil manter o relacionamento. Na hora que as duas ideias não batem, quem vai decidir e dar a resposta final? Muitas pessoas estão descasando e são muito momentâneas. Mas, na nossa vida com Deus, a gente tem que renunciar muito as nossas vontades.

João: E o mais importante é conseguir alcançar a maturidade.

Mas como avalia essa questão da submissão em uma época onde as mulheres se dizem cada vez mais empoderadas?
Mariana: Eu sou uma pessoa com muitos argumentos e, de primeira, vou tentar te convencer com a minha opinião. Mas o homem é o sacerdote da casa. O João compartilha e respeita as minhas vontades. Mas, se estou em um assunto onde as duas ideias não batem, a vontade dele é que vai prevalecer. Mas se estiver errado, que se acerte com Deus.

João: E a submissão é diferente da obrigação. Os dois devem andar lado a lado. Não é o homem que manda na mulher.

Mariana: Submissão é estar debaixo da mesma missão. Por exemplo, eu não gosto de cozinhar, mas o João gosta de comer. No início ele me pedia para fazer, mas viu que eu não tinha muito prazer nisso. Hoje em dia é algo acordado entre nós: eu cozinho, mas, se puder, a gente come fora ou pede um lanche. Isso foi algo acordado entre a gente, mas não quer dizer que vou ser assim eternamente ou que isso vai dar certo em todas as famílias.

João: E ser casado é fazer a pessoa que você ama feliz. Nunca que um casamento vai terminar se você estiver agindo assim.

Casados há dois anos, o relacionamento começou como uma grande amizade Foto: Divulgação

E como saber se um relacionamento tem a aprovação de Deus?
Mariana:
O nosso caso é uma exceção porque não existe namoro evangelístico, de namorar alguém de fora da igreja esperando que a pessoa se converta. Nós nos conhecemos em 2014 na faculdade de Engenharia Civil e nos tornamos melhores amigos. A família do João era evangélica, mas ele não queria nada com a igreja. Um dia, recebi um convite para um encontro com Deus na nossa atual igreja e pedi que o Senhor falasse comigo, mas não queria que profeta nenhum viesse falar. Esse encontro teve um ato profético em que a gente soltava uma bola de gás hélio em uma roda com mais de 100 pessoas. Minha bola era amarela e a dele era branca e não subiu. O João pediu mais uma e deram uma vermelha e, quando subiu, a bola dele veio na direção da minha, elas se enrolaram e subiram juntos para o céu. Aí ele me pediu em namoro e Deus foi confirmando ao longo do processo. Quando você está com a pessoa certa, você se aproxima do propósito que Deus te chamou para ser aqui nessa terra e passa a viver novas experiências.

João: Costumo dizer aos jovens que, quando a pessoa conhece a religião, a vida dela não muda. Mas só muda quando ela conhece Jesus. Muitas pessoas da minha família eram cristãs, mas eu não conseguia sentir o que eles sentiam. Depois que passei por esse encontro que a Mariana me convidou, conheci Jesus de fato e a minha vida mudou completamente. Na volta do encontro, eu a pedi em namoro. Eu bebia e tinha muitas namoradas antes da Mariana, mas, depois de alguns meses, nunca mais fiz as coisas erradas que fazia. Então, o pastor de jovens lá da igreja me convidou para contar meu testemunho. Organizei uma festa surpresa, chamei nossas famílias e, ao final da minha oportunidade, chamei a Mariana ao altar e a pedi em casamento. Desde então, dia após dia, temos vivido experiências sobrenaturais.

E quanto a filhos?
Mariana: Eu quero ter filhos daqui a uns cinco anos

João: Eu já quero ser pai, mas a gente vai aproveitar mais um pouco. A gente é muito jovem ainda, só que eu quero o quanto antes. Quero ter uns quatro ou cinco.

E como equilibrar a vida na igreja com a vida a dois de forma saudável?
Mariana:
Nós somos evangelistas da Comunidade Evangélica Vida Abundante de Nova Iguaçu. Eu atuo no ministério de louvor e João na intercessão. Mas a ordem que a gente segue é Deus, família e igreja. E a gente faz muito programa entre amigos, mas sempre tenta separar um dia na semana para ter o nosso momento.

João: Por sermos muito ativos, se não tomar cuidado, a gente deixa de passear. E esses momentos fazem bem ao casamento.

LEIA TAMBÉM+ "O casamento deve ser uma prioridade para o cristão"
+ Aos 91 anos, Cid Moreira agradece a Deus pela vida
+ Carla Perez agradece a Deus pela formatura da filha


Clique para receber notícias
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo