Voluntários da proteção animal resgatam animais do prédio do IBGE

A implosão de um prédio abandonado e como muitos animais foram salvos da morte certa

Vinícius Cordeiro - 24/05/2018 12h47

Na semana passada, a Prefeitura do Rio de Janeiro concluiu a implosão de um dos prédios do IBGE, no bairro da Mangueira, para dar lugar a um projeto habitacional. O local, desde a desocupação do órgão público, tinha sido habitado por famílias sem-teto.

Mas o evento contou com as manifestações e ações de grupos ativistas de proteção animal, por causa dos animais que habitavam o local. A prefeitura ativou os trabalhos da subsecretaria de bem-estar animal (SUBEM), que chegou a declarar, nos canais oficiais, ter retirado de 80 a 100 animais do prédio a ser implodido.

Porém, a informação foi contestada por ativistas e ONGs de defesa animal, como a ADDAMA, Pata Amiga e Brigada Animal que, na manhã da implosão, conseguiram resgatar três animais no prédio, e protestaram pelo fato de verificar a presença ainda de dezenas de animais no entorno e no prédio vizinho, que certamente seriam afetados pela implosão.

– A prefeitura não concluiu como devia seu trabalho, e apesar de nossos pedidos, manteve a informação falsa de que todos os animais já teriam sido retirados do local. O que não é verdade -declarou a ativista Bruna Franco.

Após entendimentos com a defesa civil, os ativistas voltaram apenas dois dias depois, e iniciaram procedimentos de resgate de animais encontrados nos escombros, na vizinhança e no prédio contíguo.

Um sério incidente ocorreu nos trabalhos de resgate, já que ao não parar às obras de demolição, os protetores quase foram atingidos com a queda de escombros. Os vídeos viralizaram nas redes sociais.

Os voluntários da proteção animal, em dois dias de trabalho, contabilizaram e festejaram o resgate de um total de mais 29 animais, que foram abrigados pela Associação Quatro Patinhas, pela Brigada Animal e em lares temporários. A SUBEM reiterou seu trabalho de retirada de mais de 80 animais, e foi duramente confrontada pelos ativistas nas redes sociais, que criticou também a Prefeitura pelo descaso reiterado nas políticas públicas do segmento, corte de verbas, pela diminuição das castrações e pelo estado da fazenda modelo.

Um dos gatinhos resgatados do antigo prédio do IBGE. Ele foi levado para uma feira de adoção que aconteceu no último domingo Foto: Arquivo Pessoal

Os animais resgatados já estão sendo exibidos em feiras de adoção, e os animais resgatados pelo governo estão no abrigo público, na fazenda modelo.

Vinicius Cordeiro é advogado, ex-Secretário de Proteção Animal do Rio de Janeiro.
Bruna Franco é ativista, dirigente da ONG ADDAMA e produtora executiva da ONG Celebridade Pet.